Ataques em Cabo Delgado. UE pondera criar missão de formação das Forças Armadas em Moçambique

O ministro da Defesa garante que, com a presidência portuguesa do Conselho da União Europeia, o "apoio à formação" das Forças Armadas moçambicanas pode concretizar-se.

A União Europeia pode vir a constituir uma missão de formação em Moçambique para ajudar no combate ao terrorismo em Cabo Delgado. O ministro português da Defesa afirma, em declarações à TSF, que, se houver abertura em Maputo, pode ser criada uma missão, tal como já acontece, por exemplo, na República Centro-Africana.

"Neste momento, isso é verdade. Se houver vontade de parte a parte, nomeadamente da parte das autoridades moçambicanas, nós acreditamos que a União Europeia possa também vir a estabelecer uma missão de formação, como já aconteceu no Mali e na República Centro-Africana", adianta João Gomes Cravinho.

O governante assegura que Portugal vai usar a presidência do Conselho da União Europeia para alertar para a violência na província moçambicana de Cabo Delgado. Em entrevista ao programa O Estado do Sítio, o ministro da defesa faz uma análise favorável das conversações com Moçambique. "O nosso diálogo tem estado a avançar bem", sublinha Gomes Cravinho.

No final do mês, o chefe do Estado-Maior-General das Forças Armadas visitará Moçambique "para falar no âmbito estritamente militar sobre como se pode operacionalizar ideias" que têm vindo a ser colocadas em cima da mesa, no contexto do "apoio à formação" das Forças Armadas moçambicanas.

"Acredito que neste semestre possamos trabalhar nos dois planos: no plano bilateral, em que vamos reforçar de forma muito
significativa a nossa cooperação militar com Moçambique, e no plano da presidência da União Europeia, em que temos um palco privilegiado para chamar a atenção dos nossos parceiros europeus para aquele que é um problema, não apenas para Moçambique, mas para todos nós." João Gomes Cravinho afiança que é geral, na Europa, a preocupação com a expansão da violência em território moçambicano.

Na terça-feira, Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros, viaja até Moçambique, em representação da União Europeia, para uma missão no país.

O Alto Representante de Bruxelas para a Política Externa, Josep Borrell, afirmou que já só falta a autorização final de Maputo.

Além de Augusto Santos Silva, a missão conta também com a presença da diretora do Serviço Europeu de Ação Externa para África, a diplomata portuguesa Rita Laranjinha.

* e Catarina Maldonado Vasconcelos

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de