Will Smith pede desculpa à Academia e agradece à família Williams sem citar Chris Rock

Depois de ter agredido Chris Rock, Will Smith subiu ao palco para receber o Óscar de Melhor Ator e numa referência ao incidente disse: "A vida imita a arte e eu tornei-me um pai louco, como o meu personagem". E concluiu, sem jamais aludir a Chris Rock: "Espero que a Academia volte a convidar-me".

O ator Will Smith, ao receber o Óscar de Melhor Ator, pediu desculpa à família das tenistas Venus e Serena Williams, que estão na base do filme que lhe deu o prémio, depois de ter agredido o comediante Chris Rock.

"A vida imita a arte e eu tornei-me um pai louco, como o meu personagem", disse Will Smith, ao receber o Óscar de Melhor Ator, pelo desempenho em "King Richard", filme centrado na família das tenistas Venus e Serena Williams, e na determinação do seu pai, Richard Williams, em formar campeãs.

"Espero que a Academia volte a convidar-me", acrescentou Will Smith, minutos depois de ter reagido com violência a uma piada de Chris Rock, sobre a sua mulher, mas sem incluir o comediante no pedido de desculpas.

Chris Rock, que ia apresentar o Óscar de Melhor Documentário, iniciou a sua intervenção com um número de comédia, durante o qual comparou a mulher de Smith, a atriz Jada Pinkett-Smith - que não tem cabelo, por sofrer de uma doença autoimune -, à tenente O'Neil, "GI Jane", do filme de Ridley Scott.

Smith levantou-se, subiu a palco deu uma bofetada em Rock e regressou ao lugar, de onde continuou a gritar: "Mantenha o nome da minha mulher fora da sua boca".

Em palco, Rock tentava minimizar a situação. "Will Smith acabou de me dar 'uma boa'", afirmou, acrescentando que aquele tinha sido um momento para "a história da televisão".

Nos minutos seguintes, entre o público e a imprensa acreditada, gerou-se a dúvida sobre se o que tinha acontecido fora combinado e fazia parte do número de comédia de Rock.

Porém, quando, pouco depois, Smith regressou a palco para receber o Óscar de Melhor Ator, as dúvidas foram dissipadas.

Durante o discurso, em lágrimas, o ator pediu desculpa à Academia e aos nomeados, e tentou justificar o seu comportamento, mas sem falar diretamente da agressão.

"Richard Williams foi um corajoso defensor da sua família", disse, numa referência ao pai das irmãs Williams, papel que desempenha e lhe deu o Óscar.

"Neste momento da minha vida, estou dominado pelo que Deus me destina a fazer no mundo."

"Por vezes, é preciso aturar insultos, e é preciso continuar a sorrir e a dizer que está tudo bem", acrescentou o ator.

Will Smith mencionou igualmente o ator Denzel Washington, que tentou o acalmar, lembrando-lhe que, "no momento mais alto, é quando o diabo nos tenta".

A emissão televisiva, que corria com um pequeno atraso, 'delay', teve um corte de alguns minutos, durante o incidente, a que se seguiu um intervalo publicitário, mas pôde ser vista em algumas plataformas e depressa as imagens em causa chegaram às redes sociais.

Nestes vídeos, também é possível ver Denzel Washington e Tyler Perry a tentarem acalmar Will Smith.

"A vida imita a arte e eu tornei-me um pai louco, como o meu personagem". E concluiu, sem jamais aludir a Chris Rock: "Espero que a Academia volte a convidar-me".

A apresentadora Amy Schumer retomou a emissão, brincando com o tempo que tinha demorado a mudar de vestido: "Escapou-me alguma coisa?", perguntou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de