Austrália oferece voos domésticos a metade do preço para apoiar turismo

O objetivo é encorajar os australianos a irem de férias para destinos tão famosos como a Grande Barreira de Corais, o local sagrado de Uluru para os aborígenes e as praias de Goad Coast. As fronteiras externas da Austrália foram fechadas durante um ano para proteger o país do coronavírus.

Quase um milhão de australianos vão poder voar dentro do país a metade do preço, beneficiando de um plano governamental para impulsionar o turismo interno, já que as fronteiras internacionais continuam fechadas devido à pandemia.

O primeiro-ministro, Scott Morrison, anunciou que o Governo vai gastar 1,2 mil milhões de dólares australianos (778 mil euros) para subsidiar 800 mil bilhetes de avião para regiões distantes das grandes cidades e "fortemente dependentes do turismo internacional".

O objetivo é encorajar os australianos a irem de férias para destinos tão famosos como a Grande Barreira de Corais, o local sagrado de Uluru para os aborígenes e as praias de Goad Coast. A oferta inclui 13 destinos.

As fronteiras externas da Austrália foram fechadas durante um ano para proteger o país do coronavírus. No início de março, esta medida foi prorrogada por três meses.

Antes da pandemia, o turismo internacional valia cerca de 45 mil milhões de dólares australianos (30 mil milhões de euros) por ano.

Um vasto plano de assistência ao emprego salvou milhões de empregos em todo o país durante o ano passado, mas deverá terminar no final de março.

Milhares de pessoas que trabalham nos setores mais afetados, particularmente o turismo, temem a perda do posto de trabalho.

Os bilhetes a metade do preço vão ser oferecidos a partir de abril, na esperança de que os australianos ajudem a apoiar o setor.

A Covid-19 fez mais de 900 mortos na Austrália, que registou quase 30 mil infetados.

A pandemia de Covid-19 provocou, pelo menos, 2.611.162 mortos no mundo, resultantes de mais de 117,5 milhões de casos de infeção, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um coronavírus detetado no final de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de