Autarca de Kharkiv diz que Rússia destruiu 15% das casas da cidade

Segundo a agência Ukrinform, cerca de um terço dos moradores já deixaram a cidade.

As tropas russas destruíram 15% das casas em Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, informou o autarca da cidade, Ihor Terkehov, numa transmissão televisiva, citado pela agência noticiosa ucraniana Ukrinform.

"Durante os últimos 35 dias, um total de 1531 edifícios foram destruídos na cidade de Kharkiv, incluindo 1292 casas residenciais. O exército russo destruiu 76 escolas secundárias, 54 jardins de infância, 16 hospitais. Um total de 239 prédios administrativos estão em ruínas", disse Terekhov.

A cidade de Kharkiv, perto da fronteira russa, tem sido atingida diariamente por bombardeamentos russos desde o início da invasão.

Segundo a agência Ukrinform, cerca de um terço dos moradores já deixaram a cidade.

A 22 de março, o serviço de imprensa do conselho da cidade de Kharkiv disse que quase mil edifícios foram destruídos, dos quais quase 800 residenciais.

A autarquia sublinhou na altura que o bombardeamento de áreas residenciais não parava -- apesar das garantias russas de que os ataques só têm como alvos militares -- e que os trabalhos de limpeza de entulhos, feito por voluntários, eram contínuos.

A Rússia lançou em 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que matou pelo menos 1.189 civis, incluindo 108 crianças, e feriu 1.901, entre os quais 142 crianças, segundo os mais recentes dados da ONU, que alerta para a probabilidade de o número real de vítimas civis ser muito maior.

A guerra provocou a fuga de mais de 10 milhões de pessoas, incluindo mais de 4 milhões de refugiados em países vizinhos e quase 6,5 milhões de deslocados internos.

A ONU estima que cerca de 13 milhões de pessoas necessitam de assistência humanitária na Ucrânia.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional, que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas e políticas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de