Autoridades da Crimeia indicam um morto e cinco feridos em explosões num aeródromo

Foram transferidos cinco feridos para o hospital regional, um deles menor de idade.

O Ministério da Defesa da Rússia informou, esta terça-feira, sobre uma série de explosões ocorridas acidentalmente num aeródromo militar na anexada península da Crimeia e que provocaram pelo menos um morto e cinco feridos, segundo o último balanço.

"No território do aeródromo Saki, nos arredores da localidade de Novofiodorofka, ocorreu a detonação de várias munições numa área de armazenamento protegida", assinalou o Ministério da Defesa russo em comunicado.

A mesma nota informativa acrescentou que "segundo o relatório do local dos acontecimentos, não se registou qualquer ataque contra o armazém de munições".

"Nada ficou danificado [no aeródromo] como consequência da explosão. O equipamento aéreo não ficou danificado", precisou a mesma fonte.

O líder regional pró-russo Serguei Aksionov deslocou-se ao local, e assinalou na sua conta na rede social Telegram que "foram reforçadas todas as medidas necessárias para proteger a segurança da população e da infraestrutura".

"Em primeira instância foram tomadas medidas para envolver o perímetro numa zona de cinco quilómetros (...) para evitar danos a civis", indicou.

No entanto, segundo informou o ministro da Saúde Pública da República da Crimeia (península ucraniana anexada pela Rússia em 2014), Konstantin Skorupski, "foram transferidos cinco feridos para o hospital regional, um deles menor".

O responsável pela Saúde Pública referiu-se a ferimentos menores provocados pelo estilhaço de vidros.

Posteriormente, as autoridades locais de Saúde Pública elevaram para seis o número de feridos, enquanto Serguei Aksionov confirmou a morte de uma pessoa que não resistiu aos ferimentos provocados pelo acidente.

Inicialmente, o exército russo disse que as explosões no aeródromo não tinham provocado vítimas.

"Ninguém ficou ferido", afirmou na altura o exército russo, referindo na mesma ocasião que o depósito de munições não tinha sido alvo de bombardeamentos.

Nas redes sociais foram publicadas diversas fotografias e vídeos das explosões.

A agência oficial russa TASS disse que o aeródromo em questão é usado como uma base militar do Ministério da Defesa da Rússia, onde estão aviões e helicópteros, bem como a aviação naval.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de