Autoridades sauditas detiveram 50 pessoas por assédio em festival de música

Porta-voz da polícia da capital saudita disse que as autoridades detiveram 50 pessoas "depois de terem sido encontradas provas sobre o seu envolvimento em crimes de assédio".

As autoridades da Arábia Saudita detiveram 50 pessoas por assédio sexual, depois de várias denúncias, algumas através das redes sociais, de mulheres que assistiram a um festival de música em Riade, anunciou a polícia esta quinta-feira.

O porta-voz da polícia da capital saudita, coronel Shaker bin Suleiman al Tuwaijri, citado num comunicado divulgado pela agência oficial de notícias do SPA, disse que as autoridades detiveram 50 pessoas "depois de terem sido encontradas provas sobre o seu envolvimento em crimes de assédio".

Segundo o responsável da polícia, os alegados abusos foram denunciados às autoridades e nas redes sociais por várias pessoas que assistiram ao festival de música MDL Beast Festival, que decorreu entre os dias 19 e 21 de dezembro, em Riade, na capital saudita, com a participação de mais de 100 artistas e músicos.

De acordo com a agência de notícias Efe, um dos vídeos mais partilhados foi o de uma jovem norte-americana que indicou que adorava a festa, mas que o público "era detestável devido ao incrível nível de assédio e porque algumas pessoas tentaram tocar-lhe e agarrá-la enquanto dançava".

O porta-voz da polícia adiantou que os vídeos partilhados nas redes sociais "mostram um grupo de pessoas a assediarem várias mulheres", acrescentando que as investigações "resultaram na identificação de 24 suspeitos que foram mais tarde detidos".

O crime de assédio na Arábia Saudita é punido com pena de prisão até dois anos ou multa de cerca de 23 mil euros, podendo a pena ser agravada até cinco anos de prisão, em caso de reincidência, sobre menores ou pessoas com deficiência.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de