BAD aprova empréstimo para apoio a água e saneamento em Timor-Leste

O empréstimo, aprovado na semana passada, destina-se a ajudar a "fornecer serviços seguros, fiáveis e acessíveis de abastecimento de água e saneamento a cerca de 62.000 pessoas que vivem em Lospalos, Viqueque e Same".

O Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) anunciou ter aprovado um empréstimo de 47 milhões de dólares (39,4 milhões de euros) para apoiar o Governo timorense a desenvolver o abastecimento de água e o saneamento no país.

O empréstimo, aprovado na semana passada, destina-se a ajudar a "fornecer serviços seguros, fiáveis e acessíveis de abastecimento de água e saneamento a cerca de 62.000 pessoas que vivem em Lospalos, Viqueque e Same", explicou o BAD, em comunicado.

Além do BAD, o projeto será cofinanciado por uma subvenção de três milhões de dólares (2,5 milhões de euros) da Global Environment Facility, que o BAD vai administrar e destinada à compra de contadores de água, sistemas de controlo e outros equipamentos, bem como serviços de consultoria destinados a reforçar a resiliência climática do projeto.

Em concreto, o projeto de investimento financiará a construção de novas instalações para serviços de abastecimento de água e saneamento, incluindo 14 reservatórios de água e sete estações de tratamento de água.

"Ajudará também a reabilitar e expandir 130 quilómetros da rede de distribuição de água da região, instalar contadores de água para 10 mil habitações e construir 12 sanitários públicos e três instalações de tratamento", indicou.

O responsável do BAD em Timor-Leste, Sunil Mitra, lembrou que a população "está a fazer crescente pressão sobre as fontes de água e os serviços de abastecimento existentes nas três cidades".

"O projeto tornará as cidades mais habitáveis através da construção de infraestruturas de água e saneamento seguro, fortalecendo a governação e a capacidade institucional. Reforçará a participação das mulheres no setor da água, proporcionando formação e desenvolvendo um mecanismo de feedback do serviço ao cliente", disse Mitra.

"O projeto também ajudará a reduzir a pobreza e a desigualdade através da instalação de ligações gratuitas de água para mulheres, pobres e grupos vulneráveis", referiu.

Os dados indicam que a população urbana de Timor-Leste aumentou 4,2% anualmente desde 2008, mas apenas 34% da população urbana tem acesso a uma rede de abastecimento de água canalizada, com o fornecimento a ser deficiente.

A iniciativa será implementada pelo Ministério das Obras Públicas, pelos Serviços Municipais de Água, Saneamento e Ambiente, e pela nova empresa estatal de água Bee Timor-Leste (BTL).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de