Bandeira norte-americana retirada da embaixada de Cabul

O exército norte-americano assumiu o controlo do tráfego aéreo no aeroporto, "para permitir a partida segura do pessoal norte-americano e aliado no Afeganistão em voos civis e militares".

A bandeira norte-americana foi retirada da embaixada dos Estados Unidos em Cabul, numa altura em que praticamente todos os funcionários se encontram no aeroporto à espera de sair do Afeganistão, informou o Departamento de Estado.

"Quase todo o pessoal da embaixada foi transferido para um local no aeroporto Hamid Karzai. A bandeira americana foi retirada do recinto da embaixada dos Estados Unidos e posta em segurança", disse um porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, citado pela agência France-Presse (AFP).

O embaixador dos Estados Unidos no Afeganistão, Ross Wilson, também está no aeroporto, segundo a mesma fonte.

O exército norte-americano assumiu o controlo do tráfego aéreo no aeroporto, "para permitir a partida segura do pessoal norte-americano e aliado no Afeganistão em voos civis e militares", indicaram o Departamento de Estado e o Pentágono, em comunicado conjunto.

"Durante as próximas 48 horas, teremos expandido a nossa presença de segurança para cerca de 6.000 tropas, com uma missão centrada unicamente em facilitar estes esforços", afirma-se no comunicado.

Nos próximos dias, os Estados Unidos deverão "realojar milhares de cidadãos norte-americanos que residiam no Afeganistão, bem como funcionários locais da missão dos EUA em Cabul e respetivas famílias, e outros afegãos particularmente vulneráveis", acrescenta-se na nota.

Cerca de 2.000 afegãos elegíveis para o programa especial de imigração chegaram aos Estados Unidos nas últimas duas semanas.

A retirada de milhares de pessoas elegíveis para o programa será "acelerada", disse o Departamento de Estado.

Os afegãos que já tenham passado os controlos de segurança serão enviados diretamente para os EUA, com o processo a ser conduzido "noutros locais" para aqueles que ainda não tenham completado a verificação.

O Presidente norte-americano, Joe Biden, decidiu no domingo enviar mais mil soldados para Cabul para reforçar a segurança da retirada de milhares de civis norte-americanos e afegãos, indicou o Pentágono, após os talibãs terem tomado o controlo do Afeganistão.

No total, 6.000 soldados dos Estados Unidos chegarão à capital afegã "nos próximos dias", precisou um responsável do Pentágono, que pediu o anonimato, enquanto as imagens de pânico no aeroporto de Cabul se multiplicam nas redes sociais.

"Várias centenas" de funcionários da embaixada dos Estados Unidos em Cabul já deixaram o Afeganistão, segundo outro responsável do Pentágono.

O Pentágono estima em 30.000 o número total de pessoas a retirar do país, entre diplomatas e outros cidadãos norte-americanos ou afegãos que ajudaram os Estados Unidos e temem agora pela vida.

A chegada dos talibãs a Cabul precipitou a saída do país de Ashraf Ghani, após terem tomado o controlo de 28 das 34 capitais provinciais em dez dias, e sem grande resistência das forças de segurança governamentais, no âmbito de uma grande ofensiva iniciada em maio -- altura em que começou a retirada das tropas norte-americanas e da NATO do país, que deverá ficar concluída no final deste mês.

Um porta-voz do movimento islâmico radical, que governou no Afeganistão entre 1996 e 2001, disse à televisão pública britânica BBC que os talibãs pretendem assumir o poder no Afeganistão "nos próximos dias", através de uma "transição pacífica", 20 anos após terem sido derrubados por uma coligação liderada pelos Estados Unidos, pela sua recusa em entregar o líder da Al-Qaida, Usama bin Laden, após os atentados de 11 de setembro de 2001.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de