Bebé entregue a soldado norte-americano no aeroporto de Cabul voltou aos braços da família

O bebé tem um nome: Sohail Ahmadi. Mas a imagem da sua passagem, por cima dos muros do aeroporto internacional em Cabul, percorreu o mundo, como símbolo de um sofrimento anónimo mas coletivo, aquando da chegada dos taliban ao poder no Afeganistão. Dos braços do soldado norte-americano que o acolheu no primeiro instante ao reencontro com a família, esta é a sua história.

O bebé que em agosto, na evacuação do aeroporto de Cabul, foi entregue a um soldado norte-americano por cima do arame farpado foi encontrado e já se encontra junto dos familiares. A criança, que se chama Sohail Ahmadi, tinha apenas dois meses quando a imagem de um soldado a alcançá-lo para o acolher nos braços se tornou simbólico do momento que o Afeganistão atravessava, com a tomada de Cabul pelos taliban.

O paradeiro do menino permaneceu oculto até novembro, quando foi descoberto na capital afegã. Um taxista, Hamid Safi, de 29 anos, tinha encontrado a criança no aeroporto, tendo-o depois levado para casa para o criar. Contudo, após sete semanas de negociação, Safi entregou o menor à guarda do avô e outros familiares que continuam na capital afegã, conta o jornal The Guardian. O passo seguinte, de acordo com a família, é possibilitar o reencontro entre o bebé, os pais e os irmãos que partiram para os Estados Unidos da América.

Durante a evasão, o pai da criança, Mirza Ali Ahmadi, que trabalhava como segurança na embaixada dos EUA, e a mulher, Suraya, temeram que o filho fosse esmagado pela multidão que se aproximava dos portões do aeroporto. Em desespero, naquele dia de 19 de agosto, o pai entregou Sohail Ahmadi por cima do muro do aeroporto às mãos de um soldado cujo uniforme o fez crer tratar-se de um membro da Armada norte-americana. Esperava, assim, poder recuperar o filho uns metros adiante, na entrada, mas, instantes depois, os taliban empurraram a multidão para trás. Quando Mirza Ali Ahmadi, a mulher e os quatro outros filhos conseguiram avançar, o bebé já se encontrava em parte incerta.

O exército transmitiu a Mirza Ali Ahmadi, que procurava desesperadamente pelo filho no interior do aeroporto, que o bebé teria sido levado para fora do país separadamente, mas que poderia reunir-se com a criança mais tarde. A restante família acabou retida numa base militar no Texas, o que adiou ainda mais o reencontro com o menino. A inexistência de embaixada norte-americana no Afeganistão e a sobrecarga de trabalho que as organizações internacionais enfrentavam fizeram com que, durante meses, os pais não soubessem onde estava o filho.

Os pais também não poderiam imaginar que, no mesmo dia em que perderam o rasto ao bebé, Hamid Safi escapava do aeroporto de Cabul, depois de dar boleia à família do irmão, que pretendia abandonar o país. O taxista encontrou Sohail Ahmadi no chão, sozinho e a chorar. Tentou localizar os pais da criança, em vão, e depois decidiu levá-lo para casa, para junto da mulher e das filhas. Pai de três meninas, Hamid Safi confessou mesmo que sonhava ter um filho. Por isso, decidiu adotá-lo, caso a família de Sohail Ahmadi não o encontrasse.

Ahmadi chegou a ganhar um novo nome: Mohammad Abed. Orgulhoso, Hamid Safi publicou fotografias com a criança na rede social Facebook, o que levou a que os vizinhos, que o viram chegar com um bebé do aeroporto em agosto, associassem as imagens às do bebé cuja história ficara mundialmente conhecida.

Mirza Ali Ahmadi, o verdadeiro pai da criança, pediu aos familiares que ainda se encontravam no Afeganistão que seguissem o rasto da história, para que Sohail Ahmadi pudesse retornar a casa. O menino foi devolvido aos familiares na presença da polícia. Hamid Safi não conseguiu conter as lágrimas, e a família de acolhimento lamentou a perda da guarda da criança. "Eu também chorei, mas assegurei ao casal que ambos eram novos, e que Alá lhes daria um filho, ou até vários. Agradeci-lhes por terem salvado a criança no aeroporto." Estas foram as palavras do avô ao reencontrar o neto. Depois do reencontro e de videoconferências pela internet, para mostrar o filho aos pais, seguiram-se as celebrações, a música e a dança.

Mirza Ali Ahmadi e a mulher já conseguiram sair da base militar e instalaram-se num apartamento no Michigan. Aguardam com esperança que o filho possa ser levado finalmente para perto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de