Bêbedo ao volante foge de cuecas e morde polícia

Advogado de 47 anos, que se autodenomina "da alta sociedade", agita noite em cidade pacata do interior do Paraná

Ao verem um carro realizar manobras perigosas, os agentes da polícia entenderam logo que aquela noite, ao contrário do que é costume na pacata Pitanga, cidade de 20 mil habitantes no coração do Paraná, não seria uma noite qualquer.

Mas não podiam imaginar tanta agitação.

Ao ser abordado, o condutor, primeiro, fugiu com o carro. Encurralado, largou então a viatura e fugiu vestindo apenas cuecas.

Perseguido, correu à frente dos polícias pelo centro de Pitanga, trocando de ruas, pulando muros e insultando os agentes, pelo meio.

Quando subia um muro de três metros de altura num beco foi então agarrado pelas pernas, derrubado e imobilizado, como nos filmes.

Mas nem assim se conformou: no meio da luta com os polícias mordeu a perna de um deles e pontapeou o outro.

Já detido por ter falhado no teste do balão, fugido das autoridades e agredido dois polícias, pediu para ir à casa de banho, onde tentou, sem sucesso, escapar pela janela.

Advogado e radialista de 47 anos, confessou ter bebido mas classificou-se como alguém da alta sociedade pitanguense que, por isso, não ficaria preso por mais de uma noite, enquanto repetia os insultos.

Mas já passaram uns dias e ainda está.

O correspondente da TSF no Brasil, João Almeida Moreira, assina todas as quintas-feiras a crónica Acontece no Brasil

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de