Biden alerta para crescimento galopante da Ómicron nos EUA e apela à vacinação

O presidente norte-americano sublinha que o Governo vai "continuar a trabalhar para que os norte-americanos sejam vacinados e tomem as doses de reforço".

O Presidente dos Estados Unidos alertou na quinta-feira que a nova variante da Covid-19 Ómicron já está naquele país e vai "começar a circular muito mais rapidamente", exortando os norte-americanos a vacinarem-se ou receberem a dose de reforço.

"A única proteção real é receber a vacina", salientou Joe Biden, que prevê um "inverno de doenças graves e mortais" para os não vacinados.

O chefe de Estado convocou uma conferência de imprensa, no final de uma reunião dedicada à pandemia de Covid-19, para "enviar uma mensagem diretamente aos norte-americanos".

É "da maior importância" os vacinados receberem uma dose de reforço e os restantes "receberem a primeira dose", vincou Biden, citado pela agência AFP.

Momentos antes, a subsecretária de imprensa da Casa Branca, Karine Jean-Pierre, tinha apontado que a Administração de Biden não pretende, por agora, tomar medidas restritivas específicas, mas ao invés concentrar-se na vacinação.

"As ferramentas que temos estão a funcionar", salientou, acrescentando que o Governo vai "continuar a trabalhar para que os norte-americanos sejam vacinados e tomem as doses de reforço".

Os ministros da Saúde do G7, os sete países mais ricos - França, Estados Unidos da América, Canadá, Alemanha, Itália, Japão e Reino Unido - apelaram a uma cooperação para combater a variante Ómicron, que consideram ser "a maior ameaça atual à saúde pública global".

Os Estados Unidos, o país que regista mais mortes devido à Covid-19, têm assinalado atualmente uma média de 1.150 mortes diárias, segundo dos dados do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA.

A Covid-19 provocou pelo menos 5.328.762 mortes em todo o mundo desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como "preocupante" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 77 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de