Biden recebe apoio de três ex-candidatos democratas antes da "super terça-feira"

Os ex-candidatos democratas à Casa Branca Beto O'Rourke, Pete Buttigieg e Amy Klobuchar anunciaram na segunda-feira, véspera da decisiva "super terça-feira", o apoio ao ex-vice-Presidente norte-americano Joe Biden.

"Vou votar em Joe Biden", anunciou Beto O'Rourke ao lado de Joe Biden, num comício do ex-vice-Presidente de Barack Obama, em Dallas, no estado do Texas, depois da senadora Amy Klobuchar e do antigo 'mayor' Pete Buttigieg terem também demonstrado publicamente que apoiam Biden.

O'Rourke foi um dos primeiros a abandonar a candidatura à Casa Branca, no ano passado, depois de não ter conseguido recuperar o entusiasmo, o interesse e os fundos arrecadados aquando da candidatura ao Senado em 2018.

Também na segunda-feira, Joe Biden recebeu mais dois apoios de peso à sua candidatura: Pete Buttigieg e Amy Klobuchar anunciaram.

Buttigieg suspendeu a campanha no domingo, enquanto Klobuchar abandonou a corrida na segunda-feira.

"Estou muito satisfeito por apoiar a candidatura de Joe Biden", afirmou o antigo 'mayor' de South Bend (Indiana) e primeiro candidato presidencial dos Estados Unidos assumidamente homossexual, um dia depois de ter anunciado a desistência da corrida à nomeação do Partido Democrata.

"Estou a procura de um Presidente que traga o melhor de nós e encorajo todos os que participaram na minha campanha a juntarem-se a mim porque encontrámos esse líder na pessoa do vice-Presidente, em breve Presidente, Joe Biden", disse, ao lado de Biden, num comício em Dallas.

Na intervenção, Joe Biden elogiou "um homem de grande integridade" e garantiu que não tinha pedido ao jovem democrata de 38 anos o seu apoio.

"Quer tenham apoiado Pete, Amy, Beto ou qualquer outro candidato nesta corrida, saibam que existe um lar para vocês na nossa campanha. Farei tudo o que puder para ganhar o vosso voto", escreveu Joe Biden, na sua conta da rede social Facebook.

Estes anúncios surgiram quando os candidatos à nomeação democrata para a Casa Branca se preparam para se enfrentar hoje na chamada "super terça-feira", quando 15 estados e territórios votam para escolher um terço dos delegados que vai escolher o adversário do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em jogo nesta "super terça-feira", que pode ser decisiva para o desfecho final das primárias do Partido Democrata, estão 1.344 delegados, cerca de um terço dos 3.979 nomes que decidirão quem vai ser o adversário do republicano Trump nas eleições de novembro.

Depois de conhecidos os resultados da votação na Carolina do Sul, no sábado, alguns dos principais nomes, como Pete Buttigieg e Tom Steyer, abandonaram a corrida, deixando o grupo de candidatos mais bem posicionados nas sondagens reduzido a quatro nomes: Bernie Sanders, Joe Biden, Elizabeth Warren e Michael Bloomberg.

A vitória de Biden na Carolina do Sul deu-lhe uma dose de confiança extra e mostrou a eficácia política do candidato em estados com um eleitorado muito diverso, nomeadamente com forte presença de eleitores afro-americanos.

Os eleitores afro-americanos são um nicho importante nas primárias democratas já que, por tradição, concentram os votos num único candidato preferencial e, este ano, pelo constatado na Carolina do Sul (onde 53% do eleitorado era afro-americano), esse candidato é Joe Biden.

Por isso, Biden tem insistido tanto na proximidade a Barack Obama, repetindo várias vezes a sua identificação com o perfil do ex-Presidente de origem afro-americana.

Mas as sondagens indicam que, nas primárias de terça-feira, Bernie Sanders continua a ser o candidato mais bem posicionado para vencer os estados com maior número de delegados: Califórnia e Texas.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de