Bispos franceses exortados a reconhecer responsabilidade da Igreja em casos de pedofilia

O presidente da Conferência Episcopal, D. Eric de Moulins-Beaufort, que recebeu os bispos em Lourdes, "levantou a questão da responsabilidade" da Igreja, uma questão que "estará no centro da nossa reflexão ao longo da semana".

Os bispos católicos franceses iniciaram esta quarta-feira a sua reunião semestral, em grande parte dedicada ao relatório de uma comissão independente sobre pedofilia na Igreja e pressionados pelas vítimas de abuso sexual a reconhecer a responsabilidade da instituição.

Durante sete dias, até 8 de novembro, os 120 prelados reunidos em Lourdes, irão dedicar metade dos trabalhos à luta conta o abuso sexual de menores denunciado no relatório coordenado por Jean-Marc Sauvé e tornado público a 5 de outubro.

Segundo o bispo de Versalhes, Luc Crepy, citado pela AFP, o presidente da Conferência Episcopal, D. Eric de Moulins-Beaufort, que recebeu os bispos, "levantou a questão da responsabilidade" da Igreja, uma questão que "estará no centro da nossa reflexão ao longo da semana".

"Na Assembleia Episcopal, em março, já havia uma afirmação muito forte dessa responsabilidade da Igreja, dos bispos", referiu Luc Crepy numa entrevista a vários órgãos de comunicação social, sublinhando acreditar que no final desta semana se tenha ido "mais longe".

Eric de Moulins-Beaufort também "sublinhou o que anima os bispos: a expectativa imensa por parte das vítimas, de muitos fiéis", acrescentou o bispo de Versalhes.

Desde 1950, 216 mil pessoas foram vítimas de abuso sexual quando eram menores por parte de clérigos (padres ou diáconos) ou religiosos e religiosas, em França.

Depois de terem estado reunidos à porta fechada durante a manhã desta quarta-feira, para começarem a examinar o relatório, os bispos receberam, durante a tarde, cinco das vítimas de abusos sexuais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de