Bolsonaro diz querer conversar com camionistas para libertar estradas

Promotores do protesto na estrada querem a destituição dos onze juízes do Supremo Tribunal Federal e que o Congresso aprove a adoção do uso da cédula impressa nas eleições de 2022.

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, disse esta quinta-feira que pretende conversar com os camionistas que bloqueiam estradas no país exigindo a dissolução do Supremo Tribunal Federal (STF), logo após ter pedido o fim dos protestos.

"Vou conversar com os camionistas para tomar uma decisão", anunciou Bolsonaro diante de um grupo de seguidores na porta da sua residência oficial, em Brasília, no momento em que muitos camiões bloqueiam diversas estadas do país.

Em mensagens veiculadas nas redes sociais, diversos promotores do protesto defendem que, entre as condições para pôr fim ao movimento, estão a destituição dos onze juízes do STF e que o Congresso aprove a adoção do uso da cédula impressa nas eleições de 2022.

A ação dos camionistas começou na quarta-feira, um dia depois de Bolsonaro ter liderado protestos que reuniram milhares dos seus seguidores exigindo, entre outras coisas, a dissolução do STF e do Congresso, que na visão deles "atrapalham" o Governo, e também uma intervenção militar que mantivesse Bolsonaro no poder.

Um dos líderes do movimento dos camionistas, Marcos Antonio Pereira, conhecido como Zé Trovão, divulgou diversos vídeos nos quais afirmava que quem bloqueia as estradas está fazendo apenas o que o próprio Presidente pediu.

"O povo precisa de você Presidente. Você nos liga desde o início do ano" e agora "a polícia está usando a força" para desmobilizar os protestos, diz uma das mensagens, na qual Trovão pede a Bolsonaro "que não deixe seu povo ser oprimido."

O ativista é acusado de promover atos antidemocráticos e ameaças a juízes do STF e está foragido, já que o tribunal ordenou a sua prisão na semana passada.

"A minha vida está destruída", disse Trovão, que citou o caso de outros apoiantes do Governo brasileiro que hoje estão presos por terem feito ataques à democracia.

O último vídeo foi lançado depois que Bolsonaro alertou nesta quinta-feira que os camionistas que bloqueiam as estradas prejudicam a já abalada economia do país.

"Eles são nossos aliados, mas esses bloqueios prejudicam nossa economia, causam desabastecimento, inflação e prejudicam o mundo todo, principalmente os mais pobres", disse Bolsonaro num áudio em que ele aparentemente pede o fim dos protestos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de