Bombeiros procuram 46 desaparecidos após cheias em São Paulo

Entre os mortos está um bombeiro que atuava num resgate no morro dos Macacos.

O Corpo de Bombeiros informou que realiza esta terça-feira buscas para encontrar 46 pessoas desaparecidas, após fortes chuvas que provocaram pelo menos 12 mortos numa cidade do litoral do estado brasileiro de São Paulo.

"Temos um total de 29 viaturas e 100 homens em buscas às 46 vítimas desaparecidas. Tivemos infelizmente um total de 12 óbitos confirmados", informou o Corpo de Bombeiros de São Paulo na rede social Twitter.

Entre os mortos está um bombeiro que atuava num resgate no morro dos Macacos, na cidade do Guarujá. A chuva provocou alagamentos em várias ruas nas cidades da Baixada Santista e também a interdição de parte de duas rodovias, bloqueadas pela queda de barreiras.

Em comunicado, o coordenador estadual da Defesa Civil de São Paulo, coronel Walter Nyakas Junior, informou que está na região para se reunir com prefeitos de câmara das cidades afetadas e avaliar as primeiras necessidades.

Dados do Núcleo de Gerenciamento de Emergência da Defesa Civil indicam que o acumulado nas últimas 12 horas de chuvas nas cidades do Guarujá foi de 282 milímetros (mm), em Santos de 218 mm, em Praia Grande 170 mm, São Vicente 169 mm, Mongaguá 160 mm, Cubatão 132 mm, e Itanhaém e Bertioga de 110 mm.

A previsão para esta terça-feira é de chuva moderada a forte em todo o litoral do estado de São Paulo, incluindo toda a região da Baixada Santista devido à formação de uma área de baixa pressão no litoral e a circulação dos ventos nos altos níveis da atmosfera.

As chuvas fortes não prejudicam apenas o litoral de São Paulo, mas também outras cidades da região sudeste do país. Cinco pessoas morreram no Rio de Janeiro entre sábado e domingo e cerca de cinco mil pessoas ficaram desabrigadas em áreas atingidas por temporais.

Carros foram arrastados pela corrente que invadiu as ruas, alguns bairros ficaram sem energia e várias pessoas tiveram de ser desalojadas por receios de deslizamentos de terra. A cidade de São Paulo também foi afetada por tempestades, que pioraram desde 10 de fevereiro e deixaram pelo menos três mortos.

Outras 60 pessoas morreram devido às fortes chuvas em Belo Horizonte, a terceira maior região metropolitana do Brasil, e em outras cidades do estado de Minas Gerais. O Ministério da Defesa Civil de Minas Gerais contabilizou, no início de fevereiro, 45.200 pessoas despejadas das suas casas devido a inundações e deslizamentos de terra.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de