Boris Johnson pede "libertação imediata" de Roman Protasevich

Reino Unido já tinha anunciado a interdição da Belavia, a companhia aérea nacional da Bielorrússia, e instruiu as transportadoras britânicas a evitarem o espaço aéreo da Bielorrússia.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, urgiu esta terça-feira a "libertação imediata" do opositor bielorrusso Roman Protasevich, detido após o desvio de um avião para Minsk, considerando o vídeo divulgado pelas autoridades bielorrussas "muito doloroso de assistir".

"O vídeo de Roman Protassevich é muito doloroso de assistir. Como jornalista e defensor apaixonado da liberdade de expressão, peço a sua libertação imediata", escreveu Johnson na rede social Twitter, alertando que as ações das autoridades bielorrussas "terão consequências".

O Reino Unido já tinha anunciado na segunda-feira a interdição da Belavia, a companhia aérea nacional da Bielorrússia, e instruiu as transportadoras britânicas a evitarem o espaço aéreo da Bielorrússia, medidas replicadas depois pela União Europeia (UE).

Em novembro, Londres expulsou dois diplomatas bielorrussos em retaliação contra uma medida semelhante tomada contra dois diplomatas britânicos, meses depois de ter decretado sanções económicas contra o Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, o filho e membros do regime devido à repressão contra manifestantes naquele país.

Em cimeira extraordinária em Bruxelas, os líderes da UE defenderam "sanções económicas específicas", com listas adicionais de pessoas e entidades.

A Bielorrússia é acusada de ter desviado, no domingo, um avião da companhia aérea irlandesa Ryanair para Minsk, a fim de deter o opositor bielorrusso Roman Protasevich, de 26 anos, que estava a bordo do avião.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de