Brasil com 1254 mortos e mais de 45 mil novos casos de Covid-19 em 24 horas

O país totaliza agora 66.741 óbitos e 1.668.589 casos confirmados desde o início da pandemia.

O Brasil registou 1254 mortos e 45.305 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, tendo o Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, entrado para as estatísticas do país, após ter sido diagnosticado com Covid-19.

Os dados foram divulgados durante a noite pelo Ministério da Saúde brasileiro, que acrescentou que o país totaliza agora 66.741 óbitos e 1.668.589 casos confirmados desde o início da pandemia, registada oficialmente no país a 26 de fevereiro.

A taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil mantém-se esta quarta-feira em 4%, quando 976.977 pacientes infetados já recuperaram e 624.871 doentes continuam sob acompanhamento.

Está ainda sob investigação uma eventual relação de 4146 óbitos com a Covid-19.

O Brasil, com uma população estimada de 210 milhões de pessoas, tem hoje uma incidência de 31,8 mortes e 794,0 casos da doença por cada 100 mil habitantes.

Geograficamente, o foco da pandemia no país está em São Paulo, estado que tem agora 332.708 pessoas diagnosticadas e 16.475 vítimas mortais, sendo seguido pelo Ceará, que acumula 124.952 casos e 6.556 óbitos devido à Covid-19.

Outro dos estados mais afetados pela pandemia é o Rio de Janeiro, que acumula 124.086 infetados e 10.881 mortes.

Já um consórcio formado pela imprensa brasileira, que decidiu colaborar na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, anunciou, por sua vez, que o país registou 1312 mortes e 48.584 novos infetados nas últimas 24 horas.

No total, o consórcio formado pelos principais media do Brasil indicou que o país totaliza 1.674.655 casos e 66.868 vítimas mortais desde o início da pandemia.

O chefe de Estado brasileiro integrou esta terça-feira a lista de mais de 1,6 milhões de brasileiros diagnosticados com a Covid-19, após ter testado positivo para a doença.

Na segunda-feira, Bolsonaro relatou ter sintomas da doença causada pelo novo coronavírus, como febre, e informou que se submeteu a um teste num hospital Militar, em Brasília, que deu hoje positivo.

"Todo o mundo sabia que mais cedo ou mais tarde [o vírus] ia atingir uma parte considerável da população (...). Eu, se não tivesse feito o exame, não saberia do resultado. E ele acabou de dar positivo", declarou o Presidente brasileiro.

O chefe de Estado referiu que tomou, na segunda-feira, uma dose de hidroxicloroquina, substância polémica usada no Brasil no tratamento da Covid-19, embora a sua eficácia não tenha sido comprovada por estudos e pesquisas científicas.

Jair Bolsonaro, um dos líderes mais céticos em relação à gravidade da atual pandemia, tem suscitado duras críticas por se opor ao isolamento social para combater a propagação da Covid-19, doença que chegou a classificar de "gripezinha".

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 539 mil mortos e infetou mais de 11,69 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de