Brasil soma 661 mortes em 24 horas e aproxima-se de um total de 155 mil

Há mais de cinco milhões de casos confirmados de Covid-19 no país.

O Brasil registou 661 mortes devido à Covid-19 nas últimas 24 horas, aproximando-se de um total de 155 mil óbitos (154.837) desde o início da pandemia, informou esta terça-feira o Governo brasileiro.

Em relação ao número de infeções, o país sul-americano totaliza 5.273.954 casos confirmados, sendo que 23.227 foram contabilizados nas últimas 24 horas.

O último boletim epidemiológico divulgado pelas autoridades brasileiras aponta ainda que a taxa de letalidade da doença mantém-se fixada em 2,9%.

No Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, 4.721.593 de pessoas diagnosticadas com a Covid-19 recuperaram da doença, enquanto 397.524 pacientes infetados estão sob acompanhamento médico.

São Paulo, foco da pandemia no país, concentra o maior número de infeções (1.068.962), seguindo-se a Bahia (337.994), Minas Gerais (338.107) e Rio de Janeiro (292.621).

As unidades federativas com mais vítimas mortais são São Paulo (38.246), Rio de Janeiro (19.836), Ceará (9.218) e Pernambuco (8.505).

O ministro da Saúde brasileiro, Eduardo Pazuello, anunciou hoje a assinatura de um protocolo de intenções para adquirir 46 milhões de doses da vacina Coronavac, desenvolvida entre a farmacêutica chinesa Sinovac e o Instituto Butantan, órgão ligado ao governo estadual de São Paulo.

"O Ministério da Saúde pretende reforçar a estratégia de proteção contra a Covid-19. Somadas as três vacinas (AstraZeneca/Oxford, Covax Facility e Butantan-Sinovac), o Brasil terá 186 milhões de doses a serem disponibilizadas ainda no primeiro semestre de 2021, já a partir de janeiro", indicou a tutela da Saúde na rede social Twitter.

O anúncio da compra da Coronavac foi efetuado durante uma reunião virtual entre a pasta da Saúde e governadores estaduais, na qual o executivo federal declarou que irá adquirir o imunizante após aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Na reunião, o ministro Pazuello ressaltou que as doses das vacinas contra o novo coronavírus serão distribuídas em todo o Brasil através do Programa Nacional de Imunizações (PNI), que "há décadas garante o sucesso das campanhas nacionais de vacinação".

"Temos a 'expertise' de todos os processos que envolvem esta logística, conquistada ao longo de 47 anos de Programa Nacional de Imunizações. As vacinas contra a Covid-19 vão chegar aos brasileiros de todos os estados", frisou o governante.

A pandemia de Covid-19 já provocou mais de 1,1 milhões de mortos e mais de 40,4 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de