Brasil totaliza 134.106 mortos e ultrapassa 4,4 milhões de casos

As autoridades brasileiras investigam ainda a possível relação de 2.428 óbitos com a Covid-19.

O Brasil registou esta quinta-feira 987 mortos e 36.820 casos de Covid-19, totalizando 134.106 óbitos e 4.419.083 desde a chegada da pandemia ao país, em 26 de fevereiro, informou o executivo.

De acordo com o último boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, a taxa de letalidade da Covid-19 no país está em 3,0%, sendo que a taxa de incidência é agora de 63,8 mortes e de 2.102,9 casos por cada 100 mil habitantes.

Por outro lado, um consórcio formado pela imprensa brasileira, que colabora na recolha de informações junto das secretarias de Saúde estaduais, indicou que o país registou mais 967 mortes e 37.387 novos infetados nas últimas 24 horas.

No total, o consórcio constituído pelos principais media do Brasil informou que o país contabiliza 4.421.686 casos e 134.174 mortos, desde o início da pandemia.

Atualmente, as autoridades brasileiras investigam a possível relação de 2.428 óbitos com a doença causada pelo novo coronavírus.

No Brasil, país lusófono mais afetado pela pandemia, 3.720.312 pacientes infetados já recuperaram da doença e 564.665 infetados estão sob acompanhamento médico.

São Paulo (909.428), Bahia (287.685), Minas Gerais (258.595) e Rio de Janeiro (246.182) são os estados que apresentam o maior número de casos confirmados do novo coronavírus.

Tendo em conta o número de óbitos, as unidades federativas mais afetadas são São Paulo (33.253), Rio de Janeiro (17.342), Ceará (8.764) e Pernambuco (7.933).

Um estudo divulgado na terça-feira pelo Imperial College London, referência no acompanhamento de epidemias, mostra que a taxa de contágio no país está em queda. O atual índice, de 0,90, é o menor desde abril.

Isso significa que cada 100 infetados transmitem o vírus para outros 90 que, por sua vez, o transmitem para mais 88, reduzindo progressivamente o alcance da doença.

Além disso, dados da quarta etapa da investigação "EpiCovid-19 BR", da Universidade Federal de Pelotas (Ufpel), reforçam essa perceção, de que a covid-19 está a desacelerar no Brasil. Amostras sorológicas recolhidas de cerca de 33 mil pessoas no final de agosto mostraram que 1,4% das pessoas testadas apresentaram anticorpos contra a doença, uma redução em relação à terceira fase (3,8%).

O Brasil permanece como o terceiro país do mundo com maior número de casos de covid-19 e o segundo em mortes, atrás apenas dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 936.095 mortos e mais de 29,6 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Depois de a Europa ter sucedido à China como centro da pandemia em fevereiro, o continente americano é agora o que tem mais casos confirmados e mais mortes.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de