Brasileiros depositaram valor recorde em contas poupança durante pandemia

Depósitos nas contas poupança superaram os levantamentos em 37,2 milhões de euros.

As contas poupança dos brasileiros receberam uma injeção recorde de recursos em maio, quando grande parte da população permaneceu em quarentena e comércios e serviços encerraram devido à Covid-19, informou quinta-feira o Banco Central.

Segundo a entidade financeira, os recursos que os brasileiros depositaram nas suas contas de poupança em maio superaram os levantamentos em 37,2 mil milhões de reais (6,4 mil milhões de euros), o maior valor até agora injetado nesse tipo de conta num único mês, desde que o indicador começou a ser medido, em 1995.

O saldo positivo de maio superou o de abril, em cerca de 30 mil milhões de reais (5,1 mil milhões de euros), que até agora era o mais alto dos últimos 26 anos.

A enorme injeção de recursos nas contas poupança em maio contrasta com o saldo negativo registado no mesmo mês do ano passado, quando os levantamentos excederam os depósitos em 718,7 milhões de reais (123,9 milhões de euros).

O saldo positivo de maio elevou o acumulado na entrada líquida de recursos nas contas poupança dos brasileiros nos primeiros cinco meses deste ano para 63,9 mil milhões de reais (11 mil milhões de euros). Ou seja, o valor líquido que entrou nas contas em maio corresponde a cerca de 58% de todo o saldo positivo do ano.

Segundo o Banco Central brasileiro, enquanto que os levantamentos excederam os depósitos nas contas poupança, tanto em janeiro como em fevereiro, a situação foi revertida a partir de março, quando os governos estaduais brasileiros começaram a impor medidas de isolamento social para enfrentarem a pandemia.

O encerramento de comércios e serviços e o confinamento domiciliário de trabalhadores e estudantes reduziram significativamente o consumo e permitiram que os brasileiros direcionassem esse excedente para as suas contas poupança.

De acordo com o Banco Central, as contas poupança também foram o destino dos recursos que muitos investidores retiraram da bolsa de valores e dos investimentos fixos com receio de perdas devido a turbulências financeiras.

As contas poupança foram ainda o destino do subsídio de 600 reais (103,4 euros) que o Governo distribuiu entre cerca de 50 milhões de brasileiros para ajudar os cidadãos desempregados e trabalhadores sem contrato a aliviar os efeitos da pandemia.

Apesar de ser um dos investimentos menos rentáveis do Brasil, as contas poupança são as mais seguras e não pagam imposto de renda.

As contas poupança, são assim a melhor alternativa em tempos de incerteza como o atual, uma vez que se espera que a paralisação das atividades e a retração do consumo como resultado da pandemia da Covid-19 causem a maior recessão na história da Brasil.

De acordo com a mais recente previsão do mercado financeiro, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil deverá recuar 6,25% em 2020, por causa da crise do novo coronavírus.

O Brasil ultrapassou na quinta-feira a Itália e tornou-se no terceiro país do mundo com mais mortes pela Covid-19, após atingir um novo recorde diário de 1.473 óbitos nas últimas 24 horas, segundo dados oficiais.

No total, o país sul-americano, que tem uma população estimada em 210 milhões de habitantes, contabiliza 34.021 vítimas mortais e 614.941 casos confirmados.

A nível global, a pandemia de Covid-19 já provocou mais de 389 mil mortos e infetou mais de 6,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios.

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de