Britânico de 72 anos testou positivo à Covid-19 durante 305 dias consecutivos

Homem residente em Bristol, no oeste do Reino Unido, esteve em casa durante 10 meses. Só testou negativo após receber o tratamento idêntico ao que curou Donald Trump.

É infeção por Covid-19 mais longa de que há registo em todo o mundo. Um britânico de 72 anos testou positivo durante 305 dias consecutivos.

No total, foram 43 testes, sempre positivos, que o prenderam em casa durante 10 meses. Nesse período, o homem esteve varias vezes à beira da morte, acabando por recuperar.

"Resignei-me, chamei a família, fiz as pazes com todos e disse adeus", contou à BBC Dave Smith, residente em Bristol.

Ed Moran, um especialista em doenças infecciosas da Universidade de Bristol, explicou que o homem teve, durante 10 meses, "o vírus ativo no seu corpo".

Dave Smith só recuperou após um tratamento feito com um cocktail de anticorpos, da Regeneron, o mesmo que curou, por exemplo, Donald Trump, ex-Presidente dos EUA.

Finalmente livre da Covid-19 e com imunidade ao vírus, o caso vai ser apresentado no próximo mês no Congresso Europeu de Microbiologia Clínica e Doenças Infecciosas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de