Canadá anuncia novas sanções a "dez cúmplices" da invasão russa

Nomes das pessoas que serão sujeitas a novas sanções provêm de uma lista compilada pelo opositor do regime russo Alexei Navalny.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, anunciou esta segunda-feira novas sanções contra "dez cúmplices na invasão russa da Ucrânia, entre responsáveis do Governo e oligarcas.

"O Canadá anuncia novas sanções contra dez indivíduos cúmplices desta invasão injustificada", disse Justin Trudeau numa conferência de imprensa realizada hoje em Londres, em conjunto com os seus homólogos britânico, Boris Johnson, e holandês, Mark Rutte.

Os nomes das pessoas que serão sujeitas a novas sanções provêm de uma lista compilada pelo opositor do regime russo Alexei Navalny, que está preso na Rússia, e inclui "antigos e atuais responsáveis do Governo, oligarcas e apoiantes" do poder russo, referiu Trudeau.

"As sanções vão aumentar a pressão" sobre Moscovo, "em particular entre os mais próximos" do Presidente russo, Vladimir Putin, assegurou o primeiro-ministro canadiano.

Otava já tinha anunciado recentemente a proibição de todas as importações de petróleo bruto russo e sanções contra dez líderes de duas grandes empresas de energia russas: a Rosneft e a Gazprom.

O Canadá também revogou o estatuto comercial especial que tinham a Rússia e a Bielorrússia, impondo taxas de importação de 35% sobre os produtos dos dois países.

A Rússia lançou na madrugada de 24 de fevereiro uma ofensiva militar na Ucrânia que, segundo as autoridades de Kiev, já fez mais de dois mil mortos entre a população civil.

Os ataques provocaram também a fuga de mais de 1,7 milhões de pessoas para os países vizinhos, de acordo com a ONU.

A invasão russa foi condenada pela generalidade da comunidade internacional que respondeu com o envio de armamento para a Ucrânia e o reforço de sanções económicas a Moscovo.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de