"Cenário Catastrófico." Incêndios na Austrália não dão tréguas

A Austrália enfrenta os maiores incêndios da história do país. Há seis vítimas mortais e os bombeiros temem o descontrolo da situação.

O Vento e as altas temperaturas são os maiores inimigos dos bombeiros. Os incêndios na Austrália já levaram à morte de seis pessoas durante o mês de novembro, e as previsões para os próximos dias não são animadoras. As autoridades alertam para temperaturas perto dos 45 graus célsius, com ventos a rondar os 90 kms/hora.

As autoridades alertam para "situações catastróficos", quando já foram destruídas mais de 500 casas. Estes são os piores incêndios da história do país, abrangendo, principalmente, o sul da Austrália. À BBC, o porta voz dos Bombeiros referiu que "todas as áreas do estado estão em perigo", e a situação está em risco de se tornar incontrolável para as corporações.

Os primeiros nove meses do ano foram os mais secos no sul do país, segundo o Bureau of Meteorology, que pertence ao governo australiano. A previsão de chuva para os próximos meses é praticamente nula.

Os ciêntistas justificam estes incêndios, em parte, com as alterações climáticas. De acordo com o Bureau of Meteorology, as alterações climáticas são responsáveis por "picos" de calor, levando à seca em vários pontos.

Fumo chega à capital Sydney

Na maior cidade da Austrália, Sydney, o fumo cobriu esta terça-feira o céu da capital. Várias pessoas foram hospitalizadas devido à inalação de fumo.

A má qualidade do ar levou o governo a fazer um alerta para o noroeste e leste de Sydney. Segundo as autoridades, a poluição do ar pode ser prejudicial para "pessoas com doenças cardíacas ou pulmonares".

Koala resgatado por popular

De acordo com a CNN, uma habitante de New South Wales, salvou um Koala que se encontrava na floresta durante um incêndio.

A mulher levou o Koala para o hospital, que estava com várias queimaduras. À CNN, os médicos informaram que o animal está a receber tratamento aos ferimentos, com o seu estado de saúde a continuar numa "condição séria".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados