Comissária dos Direitos Humanos ucraniana denuncia "violações sistemáticas" a mulheres e crianças em Bucha

Comissária de Direitos Humanos do parlamento ucraniano diz que "é impossível" medir a escala de crimes cometidos durante a ocupação russa na cidade.

Cerca de 25 mulheres ucranianas foram violadas durante a ocupação russa na cidade de Bucha. O dado foi revelado pela comissária de Direitos Humanos da Verkhovna Rada - parlamento ucraniano - Lyudmila Denisova, em declarações à BBC.

"Cerca de 25 meninas e mulheres entre 14 e 24 anos sofreram violações sistemáticas durante a ocupação, numa casa em Bucha. Nove delas estão grávidas", disse Denisova, acrescentando que os soldados russos disseram-lhes que estavam a ser violadas para depois não quererem contacto sexual com nenhum homem e para impedi-las de ter filhos ucranianos."

Sobre a escala das violações durante esse período, a comissária diz que "é impossível" avaliar, porque "nem toda a gente quer dizer o que se passou com elas", explica.

"Uma mulher de 25 anos ligou-nos para dizer que a sua irmã de 16 anos foi violada na rua à sua frente e disse que os violadores estavam a gritar "isto vai acontecer a todas as prostitutas nazis" enquanto a violavam", relatou Lyudmila Denisova.

A comissária de Direitos Humanos da Verkhovna Rada também manifestou, na BBC, a vontade de pedir à ONU a criação de um tribunal especial para julgar Vladimir Putin pelos crimes de guerra cometidos, incluindo as violações.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE A GUERRA NA UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de