Cerveja ou marijuana grátis, vale tudo para vacinar a população nos EUA

Cerveja, marijuana, dónutes grátis e até um todo-o-terreno são alguns dos incentivos à vacinação contra a Covid-19 que se podem encontrar em várias cidades dos Estados Unidos da América.

Vale tudo para conseguir cumprir a campanha maciça de vacinação que a administração do democrata Joe Biden estabeleceu como prioridade do início do mandato.

De acordo com uma reportagem da Associated Press (AP), por exemplo, em Detroit (Michigan) as autoridades locais estão a oferecer 50 dólares (mais de 41 euros) a cada pessoa que dê boleia a outra até um dos centros de vacinação espalhados pela cidade.

E se os cidadãos não puderem ir até aos centros de vacinação, os centros de vacinação vão aos cidadãos, como é caso de Chicago (Illinois), onde há autocarros especificamente equipados para levar as vacinas aos diferentes bairros da cidade.

Estes esforços são cruciais para cumprir o objetivo: alcançar a imunidade de grupo o mais rápido possível nos Estados Unidos, um país com mais de 328 milhões de habitantes, de acordo com dados de 2019 recolhidos pelo Departamento de Censos dos EUA, Eurostat e Banco Mundial.

"Esta a maneira de ver a pandemia pelo retrovisor e prosseguir com as nossas vidas", disse Steven Stack, médico e comissário de saúde pública do Kentucky.

Mas ainda há muitos norte-americanos que recusam ser vacinados, por muito que os fármacos sejam acessíveis. Por isso, foi necessário recorrer à criatividade e estimular o "apetite" da população.

Por isso, há várias cidades a oferecer cerveja, dónutes e até marijuana. Em troca só têm de estender o braço e ser vacinados. Ficam protegidos contra a sintomatologia grave provocada pela Covid-19 e vão para casa com um destes "prémios". Há autarquias que vão mais longe e até oferecem automóveis, como, por exemplo, veículos todo-o-terreno.

Entretanto, o país começa a dar os primeiros passos rumo ao regresso à normalidade. O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) já anunciou que os cidadãos vacinados não precisam de utilizar máscaras em público, mas apenas se estiverem com um grupo pequeno de pessoas.

Os 'cheques' para a população que administração Biden colocou em circulação para estimular a economia parecem estar a dar frutos. E à medida que o número de infeções e de óbitos desce em várias regiões do país, a vida vai sendo retomada.

A Disneyland, na Califórnia, por exemplo, vai reabrir na sexta-feira depois de ter encerrado há mais de um ano, enquanto em Indianápolis (Indiana) vai receber 135.000 espetadores para o Indy 500 no final de maio.

Contudo, o cenário não é animador em todo o país. No Oregon, por exemplo, o número de internamentos ainda é elevadíssimo, razão pela qual não é expectável um aligeiramento das restrições que estavam impostas.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de