Cheias em Timor-Leste. Avião com apoio urgente ainda sem autorização para aterrar em Díli

O avião tem a bordo várias toneladas de material médico e humanitário doado por australianos e timorenses residentes na Austrália numa campanha voluntária.

Um empresário australiano fretou um avião para transportar medicamentos e outros materiais urgentes recolhidos na Austrália para apoiar Timor-Leste, mas ainda não obteve autorização do Governo timorense para aterrar em Díli.

Fonte envolvida na organização da viagem confirmou à Lusa que o pedido de aterragem do voo na segunda-feira já foi formulado às autoridades em Díli, mas que "até ao momento ainda não foi dada a autorização".

O voo 'charter' foi oferecido pelo diretor da empresa Sentinel e cônsul honorário de Timor-Leste em Queensland, Craig Thrupp, com a coordenação da operação a ser feita pelo veterano Michael Stone.

A bordo devem seguir as primeiras de várias toneladas de material médico e humanitário doado por australianos e timorenses residentes na Austrália numa campanha voluntária iniciada em resposta às notícias das cheias que afetaram Timor-Leste.

A embaixadora de Timor-Leste em Camberra, Inês Almeida, disse à Lusa que os bens foram doados por australianos e pela comunidade timorense, especialmente em Darwin.

"A forma como as pessoas se juntaram neste nosso momento de necessidade é um exemplo de quão estreitos são os laços entre australianos e timorenses. Estamos gratos pela generosidade e ajuda humanitária oferecida até agora", disse.

A diplomata destacou o apoio de Craig Thrupp e major Michael Stone por coordenar o voo charter.

Além da carga que virá com avião, devem partir na próxima semana de Darwin, por via marítima, pelo menos dois contentores com bens doados pela comunidade de Darwin.

A campanha de recolha foi iniciada por Rosa Horta Carrascalão, viúva do líder histórico timorense João Carrascalão, que disse à Lusa que a comunidade de Darwin "abriu o coração" e tem estado a entregar e a preparar toneladas de bens para enviar para Díli.

"O nosso clube é enorme e está cheio de coisas, roupa, baterias, colchões, até veio alguém perguntar se aceitavam cadeiras de rodas e outros. Muitos estão a entregar e depois muitos estão a ajudar a empacotar e preparar para o envio", referiu.

Os bens encheram o espaço do Portuguese and Timorese Club em Darwin e estão agora a ser colocados em caixas etiquetadas para facilitar a distribuição em Díli.

Uma ajuda preciosa é agora a de Franky Zayat, um tunisino da empresa ACR Parts, que ofereceu os contentores "que sejam necessários" para o transporte em Díli e que explicou à Lusa que toda a gente se está a mobilizar.

"Está toda a gente a ajudar. Eu sou africano, mas agora somos todos timorenses. Aqui estamos todos, lado a lado. Não importa de onde somos, somos todos ser humanos. Vamos meter os contentores que forem precisos para partirem já na próxima semana", explicou.

A campanha de Rosa Carrascalão é apenas uma de várias dezenas de iniciativas em curso para angariar apoios para as vítimas das cheias.

Em Timor-Leste, timorenses e estrangeiros continuam a mobilizar-se numa ação de solidariedade sem precedentes para apoiar deslocados e as famílias afetadas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de