China censura vídeo sobre confinamento em Xangai e revolta utilizadores

Depois de o vídeo ter sido censurado, os utilizadores recorreram às redes sociais e começaram a partilhar várias músicas com letras de contestação, entre as quais, "Another Brick In The Wall", do grupo Pink Floyd.

Um vídeo que viralizou nas redes sociais e que mostrava as repercussões do confinamento em Xangai foi censurado, este sábado, na China, provocando a revolta dos utilizadores, adiantou a agência de notícias AFP.

Intitulado "Siyue Zhi sheng" ("As vozes de abril"), o vídeo de seis minutos mostra imagens, a preto e branco, da cidade de Xangai, acompanhadas de uma sucessão de sons, vídeos e telefonemas dos moradores.

O vídeo começa com as vozes de líderes políticos que, no início do surto de coronavírus no mês passado em Xangai, disseram que o confinamento não seria uma boa ideia devido às consequências económicas. A gravação apresenta 20 trechos de áudios de moradores confinados que não conseguem comprar comida, medicamentos ou ir ao hospital, e descrevem o caos nos centros de quarentena instalados pelo Governo chinês.

Na sexta-feira, o vídeo foi amplamente partilhado na rede social WeChat, mas a censura chinesa conseguiu apagar os seus vestígios em poucas horas. No entanto, o vídeo pode ser visto no YouTube, uma vez que não é possível aceder a esta plataforma na China sem recurso a uma rede virtual privada (VPN).

Revoltados, muitos utilizadores do WeChat começaram a partilhar músicas com letras de contestação, como "Do You Hear the People Sing?", do musical "Les Misérables", e "Another Brick In The Wall", do grupo Pink Floyd.

Com uma população de 25 milhões de pessoas, a capital económica da China enfrenta o pior surto de Covid-19 desde o início da pandemia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de