China critica ameaça de boicote diplomático dos EUA aos Jogos Olímpicos de Inverno

Várias organizações de direitos humanos acusam Pequim de ter aprisionado pelo menos um milhão de muçulmanos em Xinjiang em "campos de reeducação".

Os responsáveis chineses criticaram esta sexta-feira a ameaça de boicote diplomático aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim feito pelo Presidente dos Estados Unidos para protestar contra as violações dos direitos humanos na China.

"Misturar política e desporto vai contra o espírito olímpico", disse o porta-voz da diplomacia chinesa, Zhao Lijian, aos jornalistas.

"As acusações dos Estados Unidos contra a China sobre os direitos humanos são desprovidas de verdade e completamente infundadas", acrescentou.

"Isso é algo que estamos a considerar", disse o Presidente dos Estados Unidos aos jornalistas, na quinta-feira, sobre a opção de não enviar responsáveis do Governo para representar Washington, ao mesmo tempo que será permitida a participação dos atletas norte-americanos nestes Jogos Olímpicos.

Essa ameaça despertou a ira da China.

Esta nova situação de tensão entre os dois países ocorre poucos dias após a cimeira virtual entre o Presidente Biden e o seu homólogo chinês, Xi Jinping, que deveria estabelecer "salvaguardas" para evitar que as suas numerosas diferenças se transformassem em conflito.

Há meses, o Governo dos Estados Unidos busca a melhor forma de se posicionar em relação a este evento desportivo global organizado por um país que acusa de perpetrar um "genocídio" contra muçulmanos uigures em Xinjiang, no noroeste da China.

Várias organizações de direitos humanos acusam Pequim de ter aprisionado pelo menos um milhão de muçulmanos em Xinjiang em "campos de reeducação".

As autoridades chinesas denunciam sistematicamente "a ingerência" dos ocidentais que condenam esta situação, assegurando-se de que são "centros de formação profissional" para apoiar o emprego e combater o extremismo religioso.

O boicote diplomático foi proposto em maio pela presidente democrata da Câmara dos Representantes norte-americana, Nancy Pelosi.

Até agora, quando questionado sobre a sua decisão, o Governo Biden dizia que queria se coordenar com os aliados dos Estados Unidos para uma "abordagem comum".

Entretanto, o prazo está a esgotar-se, visto que os Jogos Olímpicos de Inverno na China vão se realizar entre 4 e 20 de fevereiro de 2022.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de