China promete atingir neutralidade carbónica em 2060

O país que gera um quarto das emissões de gases de efeito estufa do planeta.

A China promete atingir a neutralidade das emissões de carbono até 2060. Nunca Pequim tinha avançado com uma data para a neutralidade nas emissões de CO2.

O anúncio foi feito esta terça-feira durante o discurso de Xi Jinping na Assembleia Geral das Nações Unidas. O presidente chinês afirmou que o país, que é o maior emissor de gases de efeito estufa do mundo, vai atingir o pico de emissões em 2030 e, a partir daí vai começar a reduzi-las de forma a atingir uma pegada de carbono zero até 2060.

São as metas mais concretas alguma vez anunciadas pela China, o país que gera um quarto das emissões de gases de efeito estufa do planeta, responsáveis pelo aumento da temperatura.

Um compromisso anunciado perante a Assembleia Geral da ONU que, devido à pandemia, decorre num formato diferente. Os discursos dos líderes mundiais são previamente gravados.

"Anúncio com grande significado"

A associação ambiental Zero considera que este anúncio da China tem "grande significado". Em declarações à TSF, Francisco Ferreira sublinah que Pequim nunca tinha referido esta meta.

"A China nunca tinha mencionado esta meta. O que é desejável é que atinjamos a neutralidade carbónica em 2044, mas este é um anúncio com muito significado. Reitera aquilo que está dito pela China no Acordo de Paris, que é começar a descer as emissões poluentes a partir de 2030", disse o dirigente da Zero.

Antes tinha sido emitido o discurso de Donald Trump, com ataques diretos a Pequim, sobretudo por causa da pandemia. Francisco Ferreira considera que esta promessa do presidente chinês põe o homólogo norte-americano à prova.

"Trump acusou a China de não estar a atuar como devia, quer no que respeita à origem e à disseminação da pandemia, quer em relação às emissões de gases de efeitos de estufa, o que abona não muito na credibilidade da acusação, quando os EUA estão de saída do Acordo de Paris e a China parece assumir o acordo com o espírito que levou à sua assinatura em 2015", vincou.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de