Cinco estudantes dos 39 raptados em março numa escola na Nigéria foram libertados

Rapto ocorreu às primeiras horas do dia 12 de março, na sequência de um ataque de um grupo armado ao Igabi Forestry Mechanization College, no estado de Kaduna.

Cinco dos 39 estudantes raptados no mês passado durante o ataque a uma escola no noroeste da Nigéria foram libertados esta segunda-feira, disseram as autoridades.

O rapto ocorreu às primeiras horas do dia 12 de março, na sequência de um ataque de um grupo armado ao Igabi Forestry Mechanization College, no estado de Kaduna.

Os estudantes foram resgatados esta tarde e encontram-se "numa instalação militar, onde estão a ser submetidos a exames médicos", disse Samuel Aruwan, comissário de segurança interna de Kaduna.

No entanto, Aruwan não disse se foram resgatados por agentes de segurança ou libertados voluntariamente pelos seus raptores.

Homens armados, suspeitos de serem bandidos, invadiram a escola e raptaram 39 estudantes, 23 raparigas e 16 rapazes.

Os bandidos exigiram mais tarde um resgate, num vídeo que mostrava alguns dos estudantes a serem espancados num local desconhecido, numa floresta.

Mas o governador de Kaduna Nasir El-Rufai tinha deixado claro que não negociaria com os bandidos para libertar os raptados, pois pagar resgates iria encorajar mais ataques.

A Nigéria tem sofrido vários ataques deste tipo este ano. No dia 02 de março, 279 estudantes que tinham sido raptados a 26 de fevereiro de uma escola governamental de raparigas, no estado de Zamfara, no noroeste da Nigéria, também foram libertados.

O rapto de Zamfara, que as autoridades atribuíram a "bandidos" ativos no noroeste do país, ocorreu duas semanas depois de um outro o rapto de 38 estudantes e professores do Colégio Governamental de Ciências de Kagara, no estado ocidental do Níger, que também acabaram por ser libertados.

Do mesmo modo, a 11 de dezembro, 344 estudantes foram também tornados reféns numa escola em Kankara, no estado de Katsina (noroeste), num ataque reivindicado pelo grupo jihadista Boko Haram, que até então se tinha limitado a ataques no nordeste do país, embora as autoridades o atribuíssem a bandidos.

Estes estudantes foram localizados e libertados uma semana mais tarde, após uma resposta rápida das forças de segurança, numa floresta no estado vizinho de Zamfara.

Kaduna e outros estados do noroeste do país sofrem frequentemente ataques violentos, por parte de bandos criminosos envolvidos em roubos e raptos de gado, para resgate.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de