"Com efeito imediato." Banco Mundial suspende ajudas à Rússia e Bielorrússia

As ajudas foram suspensas, segundo a instituição, devido às "hostilidades contra o povo ucraniano".

O Banco Mundial anunciou que suspendeu todos os programas de ajuda pendentes na Rússia e Bielorrússia, informa a AFP. A ação da instituição financeira é uma resposta à invasão russa à Ucrânia.

Citando as "hostilidades contra o povo ucraniano", o Banco Mundial disse que "parou todos os programas de ajuda na Rússia e Bielorrússia com efeito imediato".

O Banco Mundial financia projetos de infraestruturas e faz aconselhamento político aos membros, mas anunciou que "já não aprova quaisquer novos empréstimos ou investimentos na Rússia desde 2014. Também não têm existido novos empréstimos aprovados à Bielorrússia desde meados de 2020".

De acordo com o site da instituição, 11 projetos estão em curso na Bielorrússia, com um custo total de 1,2 mil milhões de dólares, com principal destaque na energia, educação, transportes e na resposta à Covid-19.

Entre o Banco Mundial e a Rússia, existem apenas quatro projetos em comum que custam cerca de 370 milhões de dólares, onde grande parte estão ligados a questões políticas.

Paulo Pedroso, o antigo ministro que foi dirigente do Banco Mundial, explica que no caso dos russos a consequência desta decisão é mais política do que económica.

"É um sinal do isolamento perante a comunidade internacional porque o Banco Mundial é uma espécie de cooperativa dos países, com praticamente todos os países membros das Nações Unidas. Portanto tem o objetivo de mostrar que a Rússia está isolada da comunidade internacional. Tem também outro impacto, que é o de mostrar que nesta cooperativa mundial se gerou uma maioria que visou condenar estes países", explicou à TSF Paulo Pedroso.

O Banco Mundial anunciou, esta terça-feira, que está a preparar um pacote de ajuda de 3 mil milhões de dólares de ajuda à Ucrânia, que incluirá pelo menos 350 milhões de dólares em fundos imediatos. O Fundo Monetário Internacional (FMI) também se está a preparar para prestar assistência de emergência ao país.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE O CONFLITO ENTRE A RÚSSIA E A UCRÂNIA

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de