Comissão Eleitoral investiga financiamento de obras de Boris Johnson em Downing Street

Entidade fiscalizadora entende que existem "motivos razoáveis para suspeitar que infrações possam ter ocorrido".

A Comissão Eleitoral britânica abriu uma "investigação formal" sobre o financiamento das obras de renovação e decoração feitas pelo primeiro-ministro, Boris Johnson, no apartamento onde reside em Downing Street, anunciou esta quarta-feira.

A entidade fiscalizadora disse ter entrado em contacto com o Partido Conservador desde março sobre as obras no nº 11 de Downing Street e que entende existirem "motivos razoáveis para suspeitar que uma infração ou infrações possam ter ocorrido".

A imprensa britânica noticiou nos últimos dias que o Partido Conservador terá pago 58 mil libras (67 mil euros) pelas obras antes de receber um donativo nesse valor de um militante, o milionário David Brownlow.

Um porta-voz do primeiro-ministro disse que Boris Johnson pagou o valor do seu bolso, mas não esclareceu se recebeu um empréstimo do Partido primeiro.

O deputado do Partido Trabalhista, na oposição, Jonathan Ashworth, disse à BBC que pensa que o chefe do Governo está a mentir.

"Nós precisamos saber quem deu o empréstimo, quem deu o dinheiro, porque precisamos saber a quem o primeiro-ministro está em dívida", afirmou.

Na semana passada, o antigo assessor Dominic Cummings revelou que se opôs à intenção de Boris Johnson de conseguir financiar as obras através de privados por considerar que era uma prática "contrária à ética, estúpida, talvez ilegal".

Boris Johnson já estava a ser investigado por uma comissão parlamentar devido a um donativo em espécie avaliado em 15.000 libras (18 mil euros) que cobriu os custos do alojamento no complexo de luxo privado da ilha de Mustique, nas Caraíbas, nas férias de Natal de 2019 que fez acompanhado pela companheira, Carrie Symonds.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de