Coreia do Norte fecha fronteiras para evitar propagação de vírus chinês

Os chineses representam a esmagadora maioria dos turistas que chegam à Coreia do Norte, tendo o número de visitantes aumentado no último ano, devido à aproximação diplomática entre os dois países.

A Coreia do Norte vai encerrar temporariamente as fronteiras para se proteger do novo coronavírus detetado na China, informou uma agência de viagens chinesa especializada em excursões ao país.

A partir desta quarta-feira, Pyongyang "fechará temporariamente as fronteiras a todos os turistas estrangeiros como medida de prevenção contra o coronavírus", lê-se num comunicado da agência de viagens Young Pioneer Tours.

Vários países têm reforçado o controlo nos aeroportos devido ao vírus detetado no mês passado em Wuhan, cidade do centro da China, que provoca pneumonias virais e já causou nove mortos entre as mais de 440 pessoas infetadas.

Fora da China, foram já confirmados casos do novo coronavírus entre viajantes chineses na Coreia do Sul, Japão, Tailândia, Taiwan e Estados Unidos, todos oriundos de Wuhan.

Citada pela agência de notícias France-Presse (AFP), a agência norte-coreana de viagens Koryo Tours disse ter sido "informada de que a medida [encerramento das fronteiras] está a ser considerada", mas ainda não confirmou a decisão.

Já o jornal norte-coreano Rodong Sinmun não deu a conhecer nenhuma medida especial aplicada pelo regime face ao vírus chinês, mencionando apenas que este "se espalhou rapidamente" e que as autoridades chinesas tomaram "medidas equivalentes".

Outros surtos já levaram Pyongyang a fechar as fronteiras: em outubro de 2014, o regime aplicou a mesma medida para se proteger do vírus Ébola, apesar de não ter sido detetado nenhum caso na Ásia.

Já durante o surto SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave), que entre 2002 e 2003 matou 650 pessoas na China continental e em Hong Kong, suspendera excursões ao estrangeiro.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de