Corpos de avião caído no Afeganistão retirados por militares norte-americanos

As autoridades afegãs disseram que os norte-americanos usaram helicópteros para "retirar dois corpos do local do acidente".

As forças militares norte-americanas recuperaram esta terça-feira dois corpos de tripulantes de um avião militar que caiu no leste do Afeganistão, na segunda-feira, numa região controlada pelos talibãs, disseram as autoridades locais.

O Pentágono tinha reconhecido a perda de uma das suas aeronaves, uma E-11A, usada no apoio a drones (aparelhos aéreos não tripulados), afirmando que não tinha indicação da existência de fogo inimigo na zona do acidente, mas sem esclarecer a causa da queda.

Pelo seu lado, as forças terroristas talibãs reivindicaram o ataque que dizem ter derrubado o avião norte-americano, dizendo que se tratou de um "abate tático".

Os Estados Unidos negoceiam com os talibãs, há mais de um ano, para cumprirem a promessa do Presidente Donald Trump de retirar as tropas norte-americanas do Afeganistão. Os insurgentes talibãs propuseram um cessar-fogo, há duas semanas, mas o Governo norte-americano ainda não deu uma resposta.

Esta terça-feira, as autoridades afegãs disseram que os norte-americanos usaram helicópteros para "retirar dois corpos do local do acidente" e informaram que "nenhum combate ocorreu durante a evacuação" da zona. A operação terá tido a cooperação das forças afegãs, de acordo como chefe de polícia da província de Ghazni, Khaled Wardak. "As nossas forças protegeram a área e uniram as suas bases", uma vez concluída a operação, disse Wardak.

As autoridades afegãs reiteram a versão de ataque dos talibãs para explicar a queda do avião norte-americano. "Eles foram emboscados pelos talibãs, em Ramak, perto do local do acidente", disse o porta-voz da polícia de Ghazni, Ahmad Khan Sirat, acrescentando que um dos soldados resgatados morreu vítima de ferimentos graves.

Vídeos entretanto divulgados nas redes sociais, alegadamente do acidente, mostram dois corpos cobertos por mantas, numa zona controlada pelas forças talibãs.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de