Rio de Janeiro anuncia testagem em massa após aumento de casos

O Rio de Janeiro totaliza 340.833 casos de infeção e 22.141 mortos desde o início da pandemia.

O governador do Rio de Janeiro em exercício, Cláudio Castro, anunciou hoje que aquele estado brasileiro vai criar um programa de testagem em massa à covid-19, após um aumento no números de infeções e mortes.

"A situação não é tranquila. Já aumentamos em 214 camas no Centro de Terapia Intensivo e, em até 48 horas, vamos anunciar postos de diagnóstico precoce, com exame por PCR e por imagem. Faremos um grande programa de testagem, com o auxílio dos municípios e do Governo federal", afirmou Castro, em conferencia de imprensa, sem dar mais detalhes sobre os métodos para implementação desse programa.

O anúncio do governador em exercício, - que substituiu Wilson Witzel no cargo, após este ser afastado por 180 dias devido a suspeitas de corrupção - , ocorre no momento em que o Rio de Janeiro regista um crescimento no número de mortes e casos de covid-19 na região.

No momento, o Rio de Janeiro totaliza 340.833 casos de infeção e 22.141 mortos desde o início da pandemia, segundo o ministério da Saúde, sendo um dos estados mais afetados em todo o Brasil.

A média móvel de mortes óbitos dos últimos sete dias apresentou uma variação de 216% na comparação com as duas semanas anteriores, segundo o portal de notícias G1. Já a média móvel de casos também aumentou, com uma variação de 44%.

Contudo, apesar do aumento, Castro descartou a possibilidade de voltar a implementar medidas mais restritivas de isolamento social, mas prometeu intensificar a fiscalização.

"Não fecharemos nada neste momento. A nossa ação é de consciencialização. Fizemos um pacto para que aumentemos as regras de higiene e tenhamos uma maior capacidade de atendimento", afirmou o governador em conferência de imprensa, no Palácio Guanabara, sede do governo estadual, recusando que o Rio de Janeiro esteja a atravessar uma segunda vaga da pandemia.

"Não podemos ser irresponsáveis de tachar o Rio de Janeiro como vítima de uma segunda onda. Tivemos, ainda, as eleições municipais, que podem ter sido preponderantes para o aumento dos números", avaliou Castro, referindo-se ao sufrágio municipal que ocorreu em mais de cinco mil cidades do país em 15 de novembro.

Cláudio Castro afirmou que o governo estadual irá reavaliar a situação em 15 dias, para decidir se mantém as regras atuais ou se opta por retomar medidas mais restritas.

O Brasil é o país lusófono mais afetado pela pandemia e um dos mais atingidos no mundo, ao contabilizar o segundo maior número de mortos (mais de seis milhões de casos e 169.485 óbitos), depois dos Estados Unidos.

A pandemia de covid-19 provocou pelo menos 1.397.322 mortos resultantes de mais de 59,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de