Danos físicos e psicológicos. Agentes da polícia feridos durante invasão ao Capitólio processam Trump

O processo de James Blassingame e Sidney Hemby descreve o "terror absoluto" que os oficiais sentiram dentro do edifício. Os polícias acusam Trump de ajudar e encorajar os ataques e direcionar os seus apoiantes a agredi-los.

James Blassingame e Sidney Hemby, dois agentes da polícia do Capitólio querem responsabilizar o antigo Presidente norte-americano pelos ferimentos que sofreram durante a invasão ao Capitólio.

Os oficiais tornam-se assim os primeiros elementos da polícia a recorrerem aos tribunais na sequência da ação ocorrida a 6 de janeiro, durante a qual, dizem, foram vítimas de danos psicológicos e emocionais. Ambos argumentam que Donald Trump "inflamou, encorajou, incitou e dirigiu" o ato violento, avança esta quarta-feira a CNN.

Sidney Hemby acrescenta que foi empurrado contra as portas, pulverizado com químicos, tendo ficado com sangramentos pelo rosto. Já James Blassingame denuncia ter sido atirado contra uma coluna de pedra, o que lhe afetou as costas e a cabeça.

O processo visa condenar o antigo chefe de Estado a um pagamento mínimo de 63.900 euros (75 mil dólares). Os polícias acusam Trump de ajudar e encorajar os ataques e direcionar os seus apoiantes a agredi-los.

O antigo Presidente norte-americano ainda não respondeu ao processo, que deu entrada no Tribunal Federal de Washington, mas já tinha rejeitado, logo em janeiro, qualquer responsabilidade pelo ataque. Na última semana, Donald Trump também alegou que os invasores constituíram uma ameaça "de nível zero" e que "abraçaram e beijaram a polícia" no Capitólio.

O processo de James Blassingame e Sidney Hemby descreve o "terror absoluto" que os oficiais sentiram dentro do edifício, à medida que eram muito superados em número pela multidão armada pró-Trump. O documento realça ainda que James Blassingame sofre agora de depressão e que "o forte impacto emocional continua a fazer-se notar".

"Assombrado pela memória do ataque e dos impactos sensoriais - as imagens, sons, cheiros e até mesmo sabores do ataque, que permanecem à flor da pele", James Blassingame "sente culpa por não ter conseguido ajudar os colegas que estavam a ser atacados ao mesmo tempo, bem como por ter sobrevivido quando outros colegas não conseguiram".

Outra das denúncias deixadas pelo polícia norte-americano prende-se com a utilização de insultos racistas, de que diz ter sido alvo durante todo o ataque ao Capitólio.

Este é o terceiro processo a dar entrada na Justiça dos Estados Unidos da América com o propósito de responsabilizar o antigo Presidente pela invasão de 6 de janeiro, depois das ações judiciais de dois legisladores democratas. Os processos encontram-se numa fase inicial e os advogados de Trump ainda não apresentaram resposta ao tribunal.

O Departamento de Justiça dos EUA já tinha adiantado que dezenas de agentes ficaram feridos durante as horas de violência infligida durante o ataque ao Capitólio. Há processos criminais em curso contra muitos dos manifestantes.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de