"Dar sinal de que a UE está ao lado da Ucrânia." Paulo Rangel de partida para Kiev

Em entrevista ao programa da TSF O Estado do Sítio, Paulo Rangel adianta que não sabe se conseguirá chegar a Kiev, dado que "depende" da "evolução da situação". O eurodeputado do PSD explica que esta missão deverá servir "para ter contactos com as mais altas autoridades da Ucrânia".

Nas próximas horas, o eurodeputado do PSD parte para a Ucrânia, mas Paulo Rangel não tem sequer a certeza de conseguir chegar a Kiev, a capital ucraniana.

"Sairei hoje para a Ucrânia, mas depende muito. Vou ter que fazer uma escala e só aí, em função da evolução da situação, saberei ao certo se chegarei a Kiev ou não", afirmou, em entrevista ao programa da TSF O Estado do Sítio.

Esta é "uma missão da presidência do PPE", diz Paulo Rangel, que servirá "justamente para ter contactos com as mais altas autoridades da Ucrânia, para dar um sinal de que a União Europeia está totalmente ao lado da Ucrânia na ideia da sua autodeterminação, da sua soberania e da sua integridade territorial".

"A presença de entidades oficiais internacionais também ajuda a protelar, isto porque haverá sempre algum cuidado com as entidades oficiais e, portanto, isso pode ajudar um pouco a ganharmos algum tempo. Estamos em contacto, veremos se é possível ou não essa missão. Julgo que amanhã já saberemos", sublinha.

Paulo Rangel é o entrevistado do programa O Estado do Sítio deste sábado, que pode ouvir aqui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de