De Helsínquia a Nova Deli: as primeiras imagens da greve mundial pelo clima

A voz de Greta Thunberg alertou para a emergência climática. Jovens de todo o mundo ouviram o apelo e saíram à rua em protesto pela proteção do ambiente.

O alerta de Greta Thunberg chegou aos ouvidos aos estudantes do mundo inteiro que decidiram esta sexta-feira sair à rua numa greve pelo clima. Imagens de várias cidades de todo o mundo começam agora a circular nas redes sociais. A frase que dá o mote à iniciativa é "Friday for future", isto é, "Sexta-feira pelo futuro". Todos, sem exceção, lembram que não há um planeta B... nem um planeta C.

Em Portugal, alguns alunos da Escola Secundária Miguel Torga, em Massamá, juntaram-se para construir um cemitério para o planeta. Nos cartazes pode ler-se os principais problemas que a Terra atravessa nesta emergência climática.

Portugal mobiliza-se esta sexta-feira pelo clima, com múltiplas iniciativas associadas a uma greve geral, às aulas, ao trabalho e ao consumo, numa tentativa de envolver a sociedade na defesa do planeta, incentivada pelos jovens.

Alunos e professores poderão trocar as aulas por outras atividades planeadas em dezenas de municípios e participar nas manifestações previstas para o período da tarde. Três sindicatos, entre quais dois do setor da educação (Fenprof e STOP) entregaram pré-avisos de greve.

Ainda assim, quem não for às aulas vai ter falta. Filinto Lima, o representante dos diretores de escolas públicas, explicou à TSF porquê: "A escola não pode deixar de exercer o seu papel legal num dia que é especial para todos. Para nós também é especial. Aliás, os professores e os sindicatos bem aderiram a esta greve, mas não podem deixar de ser legalistas, temos de marcar a falta, até porque se nós não o fizermos um aluno pode ter qualquer acidente fora da escola e os problemas vão surgir para as escolas."

Filinto Lima sublinha, no entanto, que essa deve ser uma "preocupação muito pequenina perante a nobreza do ato" destes estudantes.

"Eu penso que é mesmo irrelevante face a um valor que prevalece que é o valor da manifestação por uma causa nobre que é o planeta, é o ambiente. As faltas dos alunos é uma preocupação muito pequenina perante a nobreza do ato desses alunos que irão participar nessas manifestações. Se eu tivesse um filho ou uma filha em idade escolar eu dizia ao meu filho para faltar às aulas para participar neste evento e eu depois entender-me-ia com a escola", adianta.

*com Sara de Melo Rocha e Lusa

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de