"Debate foi sempre sobre soberania." Von der Leyen "aliviada" com acordo pós-Brexit

Líder da Comissão Europeia assinalou a posição da União Europeia como "um dos gigantes" e deixou transparecer uma despedida agridoce.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, revelou-se esta quinta-feira apenas "satisfeita" e algo "aliviada" com o fecho do acordo para o pós-Brexit entre o Reino Unido e a União Europeia. A partir de Bruxelas, von der Leyen recordou um percurso "longo e sinuoso", mas destacou que dele "resultou um bom acordo".

"É justo, equilibrado, e é a coisa certa e responsável a fazer", defendeu a líder da Comissão Europeia, antes de dar três exemplos do que fica garantido com as negociações.

"O mercado único é e vai continuar a ser justo, com as regras da União Europeia a serem respeitadas. Temos ferramentas para responder caso a concorrência leal seja distorcida e isso afete o nosso mercado. Em segundo lugar, vamos continuar a cooperar com o Reino Unido em áreas de interesse mútuo como as alterações climáticas, energia, segurança e transportes. Juntos, continuamos a alcançar mais do que se estivermos separados. Em terceiro lugar, asseguramos cinco anos e meio de previsibilidade total para as nossas comunidades pesqueiras", destacou.

Reconhecendo que "todo este debate foi sempre sobre soberania", von der Leyen pediu que se vá "além dos soundbites para nos questionarmos o que significa a soberania no século XXI".

Para a líder europeia, "significa ser capaz de, sem qualquer dificuldade, trabalhar, viajar, estudar e fechar negócios em 27 países", mas também "conseguir reunir as nossas forças e falar em conjunto num mundo cheio de grandes poderes".

Sem esquecer a pandemia de Covid-19, von der Leyen explicou que, "num momento de crise, é também puxarmo-nos uns aos outros para cima em vez de tentarmos colocar-nos de pé sozinhos. A União Europeia mostra como isso é posto em prática. Nenhum acordo no mundo pode mudar a realidade e gravidade da economia mundial atual. Somos um dos gigantes."

Agora "é o momento de virar a página e olhar para o futuro. O Reino Unido é agora um país terceiro mas continua a ser um parceiro de confiança, somos aliados de velha data e partilhamos os mesmos valores e interesses."

Ursula von der Leyen terminou a sua intervenção com um agradecimento aos negociadores europeus e britânicos e a todos os Estados-membros, confessando que "normalmente", depois de negociações bem-sucedidas, sente "alegria".

"Hoje só sinto alguma satisfação e, muito francamente, alívio. Sei que é um dia difícil para alguns de nós", reconheceu, antes de declarar: "Europeus, chegou a altura de deixarmos o Brexit para trás. O nosso futuro constrói-se na Europa."

Um milagre de Natal chamado acordo pós-Brexit

A Comissão Europeia concluiu finalmente a negociação, em nome dos 27, com o Reino Unido, com um acordo que regula a relação comercial pós-Brexit.

A 1 de janeiro de 2020, o período transição em que o Reino Unido ainda goza de todos os direitos e obrigações idênticos ao de um Estado-Membro, será substituído por um acordo comercial, que foi finalmente fechado e vai ser assinado por Londres e Bruxelas.

Há agora um roteiro para a concretização formal, em que se prevê que a Comissão Europeia formulará uma proposta que colocará à apreciação dos Estados-Membros. O Conselho adoptará uma decisão sobre a assinatura e possível aplicação provisória do acordo. Se os prazos se concretizarem, a decisão será publicada no Jornal Oficial da União Europeia, permitindo a entrada em vigor, provisória a 1 de janeiro. Mais tarde, prevê-se que na primeira sessão plenária do próximo ano, o Parlamento Europeu vote então o acordo. E, finalmente o Conselho adoptará uma posição final.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de