Deputados catalães presos tomam posse no Congresso espanhol

Os líderes independentistas, presos preventivamente, juram o cargo esta terça-feira e regressam à prisão, não tendo autorização para participar em nenhuma outra sessão parlamentar.

Esta terça-feira, os cinco independentistas catalães presos que foram eleitos como deputados nas eleições legislativas tomam posse no Congresso dos deputados. Os cinco estão a ser julgados pelo Supremo Tribunal, por delitos de sedição, rebelião, desvio de fundos e desobediência, na sequência do referendo ilegal e da declaração unilateral de independência na Catalunha, mas a Justiça espanhola autorizou a tomada de posse no Congresso.

Na segunda-feira, os líderes independentistas - Oriol Junqueras, Jordi Turull, Josep Rull, Jordi Sánchez y Raul Romeva - já recolheram a ata de deputados e senador, no caso de Romeva, num processo que durou menos de uma hora. Esta terça-feira, os cinco tomam posse e juram o cargo com o resto dos deputados do hemiciclo.

O Supremo Tribunal autorizou os cinco líderes independentistas a marcarem presença na sessão parlamentar desta manhã, para poderem tomar posse dos cargos, mas não lhes deu autorização para participarem em nenhuma outra sessão parlamentar.

Proibidos de prestar declarações aos jornalistas, os políticos catalães aproveitaram a ocasião para deixarem mensagens nas redes sociais e apelaram ao voto nas eleições municipais, autonómicas e europeias deste domingo.

"Estou no Congresso rodeado de amigos e companheiros. É um privilégio extraordinário. Disse-lhes que cada vez que os vejo na televisão, que vejo que são 15 [deputados independentistas] sinto um orgulho infinito. Agora temos de ganhar no domingo e conduzir o país à liberdade", disse Oriol Junqueras, líder do Esquerra Republicana, num vídeo publicado no Twitter.

Por parte da oposição, Pablo Casado do PP já anunciou que vai pedir a suspensão parlamentar dos cinco acusados. "Acho que o arranque da legislatura já foi ofensivo para a maioria dos espanhóis hoje, com um espetáculo de provocação como foi a recolha da acreditação por parte de cinco deputados processados pelo Supremo Tribunal. É hora de defender a nossa democracia e a nossa Constituição e ninguém melhor que o PP para o fazer. Por isso vamos exigir todas as medidas necessárias para a suspensão parlamentar de maneira imediata dos cinco acusados."

Também Albert Rivera, do Cidadãos, anunciou que pedirá a suspensão parlamentar dos líderes catalães por considerar que no Congresso só pode estar "os que defendem a soberania nacional e não os que tentaram liquidar Espanha".

Em prisão preventiva desde novembro de 2017, os líderes catalães entram no Congresso dos deputados esta terça-feira para jurar o cargo e participar na constituição das Cortes. Depois serão transportados para a prisão novamente. Na quarta-feira, os cinco voltam a sentar-se no banco dos réus do Supremo Tribunal.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados