Detetadas duas fugas de gás no Nord Stream 1. Suécia emite alerta

Até ao momento não se conhecem as causas destas fugas nas águas suecas e dinamarquesas.

Foram detetadas, esta terça-feira, duas fugas de gás no gasoduto Nord Stream 1, horas após um incidente semelhante ter ocorrido no Nord Stream 2, anunciaram as autoridades escandinavas.

"Houve outras duas fugas no Nord Stream 1, que também não está em funcionamento, mas contém gás", afirmou à agência de notícias AFP o ministro dinamarquês do Clima e da Energia, sublinhando que as autoridades apelaram a "mais preparação no setor da eletricidade e do gás" na Dinamarca.

Devido a estas duas fugas de gás, a Autoridade Marítima da Suécia emitiu um alerta, desconhecendo-se, para já, o que está na origem destas fugas nas águas suecas e dinamarquesas.

"Há duas fugas na Nord Stream 1 - uma na zona económica sueca e outra na zona económica dinamarquesa. Estão muito próximos uma da outra", disse um porta-voz da Administração Marítima Sueca (SMA) à agência de notícias Reuters.

As fugas foram localizadas a nordeste da ilha dinamarquesa Bornholm. "Estamos a manter uma vigilância extra para garantir que nenhum navio se aproxima demasiado do local", acrescentou outro porta-voz.

Na segunda-feira, a Autoridade Marítima Dinamarquesa alertou que tinha sido detetada uma fuga de gás no gasoduto Nord Stream 2, que liga a Federação Russa à Europa, sob o Mar Báltico.

O operador do Nord Stream 2 confirmou que a fuga tinha sido detetada a sudeste da ilha dinamarquesa de Bornholm, no Mar Báltico.

A agência de energia dinamarquesa afirmou, em comunicado, que a autoridade marítima do país emitiu um aviso à navegação e determinou uma zona de proibição de cinco milhas náuticas, em torno do gasoduto, "por ser perigoso para o tráfego de navios".

Há receios de que esta fuga venha a provocar o esvaziamento do gasoduto, que está com 177 milhões de metros cúbicos de gás, nos próximos dias.

Esta fuga aconteceu um dia antes da inauguração de um gasoduto, o Tubo do Báltico, que vai transportar gás da Noruega para a Polónia, através da Dinamarca.

Ao gás norueguês é atribuído um papel importante na substituição do gás russo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de