Detetadas fissuras em aviões Boeing 737 NG. Mais de 50 aeronaves já ficaram em terra

Desta vez, foi a Qantas, uma companhia aérea australiana, a reportar o problema. Aumenta a pressão sobre a Boeing, depois dos desastres aéreos causados por outro modelo do mesmo fabricante, o 737 Max.

A companhia área australiana Qantas teve de suspender, esta quinta-feira, a utilização de um avião Boeing 737 NG, depois de descobriu uma fissura na aeronave. O mesmo problema já tinha sido, recentemente, descoberto num avião do mesmo modelo da companhia norte-americana Southwest Airlines

Várias companhias estão agora a inspecionar as suas frotas de 737 NG, depois de a Boeing ter revelado que uma área junto a uma asa do avião terá tendência para quebrar-se, neste modelo. De acordo com a Boeing, foram detetados problemas no "pickle fork" dos aviões - a parte que ajuda a segurar as asas ao avião.

Segundo a agência noticiosa AFP, há já 50 aviões em todo o mundo a ficarem em terra devido ao problema.

No caso do avião da Qantas, a companhia aérea esclareceu que o avião em causa não tinha ainda sequer completado 30 mil viagens e adiantou que vai inspecionar 33 aviões da sua frota ainda esta semana.

"Nunca operaríamos um avião a não ser que fosse completamente seguro", declarou a Qantas, citada pela BBC News.

Esta é mais uma polémica a abater-se sobre a Boeing, depois de, em março, a fabricante de aeronaves ter sido obrigada a parar os aviões 737 Max, na sequência de dois acidentes aéreos fatais, um na Indonésia e outro na Etiópia, dos quais resultaram, no total, 346 mortos.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados