Dez pessoas morreram em ataque atribuído ao Estado Islâmico no norte do Iraque

O Estado Islâmico atacou a povoação de Khidir Jija, sul de Erbil, Curdistão iraquiano, matando três civis.

Pelo menos 10 pessoas, três civis e sete combatentes peshmergas curdos, foram mortos num ataque atribuído ao grupo Estado Islâmico no norte do Iraque, disseram esta sexta-feira fontes oficiais.

Na quinta-feira à noite, o grupo armado Estado Islâmico atacou a povoação de Khidir Jija, sul de Erbil, Curdistão iraquiano, matando três civis.

As forças peshmergas, do Exército do Curdistão iraquiano, lançaram de "imediato" uma operação em que "sete combatentes [do Estado Islâmico] morreram" na sequência da explosão de um engenho explosivo detonado pelos próprios elementos do Estado Islâmico, refere o comunicado divulgado hoje em Erbil.

Os três civis, dois irmãos, um de 11 anos e o outro de 24 anos de idade, eram filhos de um responsável local, disse à France Presse uma fonte próxima da família das vítimas.

Em 2014, após o reforço da presença em territórios do Iraque e da Síria o grupo Estado Islâmico autoproclamou um "califado" na região.

O Iraque declarou a vitória na guerra contra o Estado Islâmico em 2017.

Mesmo assim, os radicais do Estados Islâmico continuam a levar a cabo ações pontuais contra povoações e as forças de segurança no norte do Iraque.

Atualmente, a organização "mantém uma presença clandestina no Iraque e na Síria" e organiza ataques na zona da fronteira, de acordo com um relatório das Nações Unidas publicado em 2021.

Segundo o mesmo documento, o Estado Islâmico ainda mantém "cerca de 10 mil combatentes ativos".

O último grande ataque do Estado Islâmico ocorreu no passado mês de julho no bairro xiita de Sadr City, em Bagdad, em que morreram 30 civis.

No final do mês de novembro, cinco peshmergas foram mortos num atentado bombista no Curdistão iraquiano reivindicado pelo Estado Islâmico.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de