Dezenas de migrantes morrem afogados ao largo da Mauritânia

Barco naufragou perto de Nouadhibou, a segunda maior cidade do país.

Dezenas de pessoas morreram afogadas, esta quinta-feira à tarde, ao largo da Mauritânia, no naufrágio de um barco que transportava migrantes. A agência de refugiados da ONU estima que terão morrido cerca de 40 pessoas, que saltaram para a água quando perceberam que os motores do barco tinham falhado.

O barco naufragou perto de Nouadhibou, a segunda maior cidade do país. Apenas uma pessoa da Guiné terá sobrevivido e os Médicos Sem Fronteiras acusaram os governos europeus de esquecerem a crise dos migrantes no mediterrâneo. Com a desculpa da pandemia, as condições de travessia dos migrantes do Norte de África para a Europa nunca foram tão más.

"O ACNUR [Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados] e a IOM [Organização Internacional para a Migração] estão a tentar intensificar os esforços para evitar tais tragédias, mas os traficantes continuam a mentir para os seus clientes", escreveu Vincent Cochetel, enviado especial do ACNUR para o mediterrâneo central, no Twitter.

Agora, os Médicos Sem Fronteiras preparam-se para embarcar num novo navio da Sea Watch, para ajudarem os migrantes no mediterrâneo.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de