Dia da independência dos EUA marca regresso à normalidade

A Casa Branca carimba o 4 de Julho de 2021 com o regresso dos Estados Unidos à vida pré-pandemia. Mas Joe Biden falha a meta de vacinação estipulada para o Dia da Independência.

Este 4 de Julho, os Estados Unidos celebram mais do que a independência do país. Neste 4 de Julho, os Estados Unidos celebram o regresso à normalidade. "A América Regressou Unida" é o tema da Casa Branca para marcar o grande feriado norte-americano de 2021, após um 2020 marcado pela Covid-19.

Com grandes desfiles, estádios abertos ao público, reuniões familiares, encontros de amigos, bares e restauração de portas abertas à vida pré-pandemia. Sem esquecer, claro, o grande momento que marca o 4 de Julho nos Estados Unidos: o fogo de artificio que cobre o céu dos 50 estados norte-americanos.

Na capital americana, as ruas vestiram-se de azul, vermelho e branco e as ruas encheram-se de população vinda de vários estados. Jack viajou da Florida. "Este é um fim de semana maravilhoso. Nós sobrevivemos a uma pandemia e as pessoas estão de novo nas ruas, felizes. Há um ano não imaginávamos que isto pudesse acontecer", diz à TSF. Susie voou da Califórnia. "Para nós só o facto de termos viajado num avião durante 5 horas e vir ate aqui é um grande passo. O país está aberto de novo e podemos voltar a fazer coisas", conta.

É um regresso à normalidade que já se sente nos bolsos da economia norte-americana. Em entrevista à TSF, Jabbie, detentor de uma rulote de comida em Washington D.C., não esconde o alívio: "o negócio está ótimo. Graças a Deus a América está de volta. Quase toda a gente está vacinada e o negócio está a correr muito bem. Estamos a fazer mais dinheiro do que nunca."

Mas a festa só termina quando depois do pôr-do-sol se acenderem os rastilhos e o fogo de artifício encher o céu americano. Para isso o National Mall, na capital, vestiu-se de bandeiras para receber aquele que é o principal espetáculo pirotécnico do país. "Este ano podemos ansiar pela grande tradição de verão em DC, como estamos habituados há décadas. O espetáculo será muito semelhante àquilo que as pessoas estão habituadas no passado. O fogo de artificio será lançado da piscina refletora, um espetáculo de 17 minutos lançado às 9h09 na noite de domingo", conta à TSF Mike Litterest, do Serviço Nacional de Parques, a entidade que gere o evento.

Joe Biden falha meta de vacinação

A festa não se faz esquecendo a Covid-19. Para marcar este 4 de Julho o presidente dos EUA, Joe Biden, estipulou um objetivo: ter 70% da população vacinada com pelo menos uma dose e 160 milhões de americanos totalmente vacinados. Por muito pouco o objetivo não se cumpriu.

156.3 milhões de americanos estão agora vacinados e 66.8% da população com mais de 18 anos recebeu pelo menos uma dose da vacina.

A meta não foi alcançada porque, de acordo com Jeff Zients, coordenador de Covid-19 da Casa Branca, "muitos jovens consideram que o Covid-19 não é algo que os afete e estão menos dispostos a vacinarem-se".

Mas apesar da presença da variante Delta, este 4 de Julho os Estados Unidos dizem ao mundo que regressaram à normalidade, com festa, ainda que com algumas máscaras na rua.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de