Dia "mais do que importante" para Lula. "País precisa de recuperar o direito de ser feliz"

Visivelmente animado, Lula da Silva lembrou que há quatro anos não pôde votar porque fora "vítima de uma mentira".

Lula da Silva, candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) às eleições do Brasil, exerceu o direito de voto este domingo na Escola Estadual Dr. João Firmino Correia de Araújo, em São Paulo. Visivelmente animado, o antigo Presidente, que as sondagens apontam como possível vencedor destas eleições, tirou selfies e deixou-se fotografar antes de fazer uma declaração ao país, em que começou por assinalar a importância deste dia para si e terminou a desejar que o país "recupere o direito de ser feliz".

"É um dia mais do que importante para mim. Não poderia deixar de dizer para vocês que há quatro anos atrás não podia votar", lembrou Lula aos jornalistas, assinalando que fora "vítima de uma mentira" que o impediu de exercer o direito de voto.

"Estava detido exatamente no dia da eleição (...) Quatro anos depois estou aqui, a votar, com reconhecimento da minha total liberdade e com a possibilidade de voltar a tentar ser Presidente da República, para tentar fazer o país voltar à normalidade, para tentar fazer que o país cuide do seu povo, a ter salário, educação, saúde, respeito com cada um ser humano", disse Lula.

Prosseguindo na declaração, o candidato do PT criticou a forma como Bolsonaro geriu a pandemia, desejando que "o Brasil nunca mais tenha um Presidente que permita que morra tanta gente por falta de responsabilidade". "Vamos ter que cuidar desse país. Esse país precisa recuperar o direito de ser feliz", frisou.

"Queremos um país que viva em paz e em segurança. Não queremos mais ódio, mais discórdia. (...) Essa é a eleição mais importante para mim. (...) Estou muito, muito feliz. Tudo o que o povo deseja é voltar a ser feliz", acrescentou ainda.

Após votar, Lula beijou o comprovante de votação e deixou a sala.

Com 'chances' de vencer na primeira volta, Lula da Silva tem entre 50% e 51% das intenções de voto, segundo sondagens divulgadas no sábado pelo DataFolha e o Ipec, respetivamente, e é seguido pelo Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, com 36% e 37% das intenções de voto, Ciro Gomes (5% e 5%, nas duas sondagens) e Simone Tebet (6% e 5%).
Ao contrário das eleições anteriores, todas as assembleias de voto abriram às 08:00 de Brasília (12:00 em Lisboa), numa espécie de subordinação de todas as mesas ao fuso horário da capital brasileira.

Os mais de 156 milhões de eleitores poderão votar até às 17:00 de Brasília (21:00 em Lisboa), nas 577.125 urnas eletrónicas espalhadas por 5.570 cidades do país.

Além de Lula da Silva e Bolsonaro, disputam as presidenciais brasileiras os candidatos Ciro Gomes, Simone Tebet, Luís Felipe D'Ávila, Soraya Tronicke, Eymael, Padre Kelmon, Leonardo Pericles, Sofia Manzano e Vera Lúcia.

Caso nenhum dos candidatos presidenciais ultrapasse 50% dos votos válidos, os dois mais votados voltam a enfrentar-se numa segunda volta em 30 de outubro.

ACOMPANHE AQUI TUDO SOBRE AS ELEIÇÕES NO BRASIL

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de