Documento escrito por Einstein vai a leilão por mais de dois milhões de euros

É um conjunto de folhas, datado de 1913, onde Albert Einstein e o engenheiro, e seu amigo pessoal, Michele Besso, escrevem a Teoria da Relatividade Geral. Vai a leilão na Christie's de Paris.

Um leigo que olhe para o documento verá, à primeira vista, apenas um conjunto de 54 folhas manuscritas onde aparecem números e mais números, equações matemáticas e muitas anotações.

Mas este documento encerra uma das maiores descobertas do século XX, a Teoria da Relatividade Geral onde é provado o papel do planeta Mercúrio na força da gravidade.

"O manuscrito é de 1913 e corresponde a uma altura em que Einstein estava muito ocupado com a Teoria da Relatividade Geral", conta o físico Carlos Fiolhais. O também ensaísta e antigo professor na Universidade de Coimbra explica que "isto" é uma parte dessa teoria, que encerra a teoria da gravitação".

A peça, que vai agora a leilão na Christie's de Paris, foi escrita a meias por Albert Einstein e o seu colega e amigo Michele Besso, um engenheiro suiço-italiano que estudou com ele na escola Politécnica de Zurique. "Este documento mostra que Einstein​​​​​​​ não trabalhava sozinho", adianta Carlos Fiolhais. "Prova que ele tinha pessoas em quem confiava e com quem trocava ideias, embora o essencial da teoria, não haja dúvidas que era dele."

" É um documento muito técnico, duvido que quem vá ficar com isto, que deve ser uma pessoa muito rica e que consiga pagar estes milhões, consiga perceber", adianta o cientista.

Carlos Fiolhais considera que seria interessante o documento ficar nas mãos de uma universidade, mas duvida que isso aconteça. "Há um sítio no mundo, a universidade hebraica de Jerusalém, onde está o espólio de Einstein. Inclusive, há uma carta que um português lhe escreveu, António Gião, um geofísico do Alentejo, e Einstein respondeu-lhe para Reguengos de Monsaraz", desvenda.

No entanto, Fiolhais duvida que esta ou outra qualquer universidade do mundo consiga arrematar o documento pelo preço que este atingirá em leilão, com uma base de licitação entre os dois e três milhões de euros: "O mais provável é ser uma pessoa de muitas posses."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de