Doentes recuperados podem emitir o novo coronavírus até 90 dias após contágio

Durante quanto tempo uma pessoa que recuperou da Covid-19 continua a ser portadora do coronavírus? A Rússia aponta para um prazo maior do que se pensava.

Investigadores acreditam que o novo coronavírus possa ser emitido até 90 dias depois do contágio, mesmo que o doente esteja recuperado e já não tenha quaisquer sintomas.

"Temos observações, e há observações semelhantes no exterior, de que um indivíduo recuperado emite o vírus até 90 dias", afirmou esta quarta-feira a diretora do Rospotrebnadzor, o Serviço Federal da Rússia para a Supervisão da Proteção do Consumidor, Anna Popova.

"As nossas observações indicam até 48 dias, enquanto que no estrangeiro foram observados contágios de quase 90 dias", reformulou a responsável citada pela agência de notícias russa TASS , sem avançar informações sobre que países chegaram a esta conclusão.

Anna Popova explica que "uma pessoa sem sintomas e que se sinta perfeitamente bem e mesmo que tenha excelente [resultado nos testes do] sangue ainda pode emitir o vírus pelo nariz" até três meses depois de ter sido infetada.

Segundo os Centros de Controlo de Doenças dos Estados Unidos "as pessoas recuperadas continuam a libertar SARS-CoV-2 até 3 meses depois" da fase inicial da doença, mas em concentrações "consideravelmente mais baixas" do que no pico da doença, pelo que se considera "improvável" que um desses contactos possa dar origem a uma infeção.

Anna Popova acrescentou ainda que Centro Estatal Russo Véktor de Investigação em Virologia e Biotecnologia não registou ainda mutações significativas do coronavírus após estudo de 422 amostras.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de