Dombrovskis: "Passaporte de vacinação com forte apoio de Costa"

Ministros do ECOFIN defenderam rápida disponibilização de fundos

O passaporte de vacinação é uma das medidas que está a ser equacionada em Bruxelas, para suavizar o impacto económico nos países mais dependentes das viagens e do turismo, como é o caso de Portugal.

A medida foi proposta pelo governo grego. Mas, o vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis saúda o contributo de António Costa a apoiar esta medida, que é apresentada como uma forma de retorno às viagens seguras.

"Um elemento importante, claro, é a estratégia de vacinação, e sabemos que o primeiro-ministro Mitsotakis da Grécia, - mas também com o forte apoio do primeiro-ministro Costa, de Portugal -, que defendem a questão da criação de um passaporte de vacinação da União Europeia, o que permitiria garantir ou restaurar as viagens sem restrições, e ajudar especialmente as indústrias de viagens e turismo", disse Dombrovskis.

A afirmação surgiu no final da reunião do ecofin, a primeira com a presidência do governo português. Apesar de confinado, devido à infeção por Covid-19, o ministro João Leão conduziu os trabalhos e defendeu medidas de ajuda à economia, ao longo deste ano.

"Precisámos de medidas de emergência e de apoio, durante o ano passado, mas também este ano, para ajudar os setores que foram mais afetados, enquanto a pandemia estiver ativa. E, depois, quando a pandemia acabar, precisamos de iniciar uma forte recuperação", afirmo o ministro, considerando que "para isso, o fundo de recuperação e resiliência é muito importante".

O ministro saudou também o "acordo generalizado", em torno da "necessidade de recuperação", que deve ser colocada como "prioridade de topo". João Leão referiu também a iniciativa do primeiro-ministro, António Costa que escreveu aos restantes governos da União Europeia a pedir-lhes para "avançarem com os procedimentos nacionais, o mais rapidamente possível", para acelerar o próximo passo, do "acordo à implementação".

Até haver disponibilidade de verbas da chamada bazuca, o vice-presidente da Comissão Europeia, Valdis Dombrovskis aponta várias que podem avançar desde já, e outras que já estão no terreno.

"Nomeadamente, no que diz respeito à máxima flexibilidade orçamental, e das regras das ajudas de Estado", aponto o comissário, dando também os exemplos "da mobilização de todo o financiamento disponível, como o que ainda existe no orçamento da União para 2020, no no último ano do quadro financeiro plurianual, que criou o mecanismo da ReactEU, que na verdade é agora continuado também no âmbito do plano de relançamento da economia europeia".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de