Draghi despede-se orgulhoso do trabalho feito no BCE

Na última conferência de imprensa como presidente do BCE, Mario Draghi não mostra preocupações com a sua sucessora, mas deixa recados para o futuro da economia europeia.

Mario Draghi garante que Christine Lagarde, a sua sucessora no Banco Central Europeu (BCE), não precisa de lições de ninguém. Numa conferência de imprensa que marcou a sua despedida como presidente do BCE, o italiano afirmou que não tem conselhos para Lagarde, uma vez que ela sabe "melhor do que ninguém o que fazer".

Depois de um trabalho que começou em 2011, num período difícil para a zona euro, Super Mario - como muitos lhe chamam -, sustenta que os europeus devem estar "muito orgulhosos".

Ainda assim, Draghi indica que os últimos dados económicos disponíveis indicam "um enfraquecimento mais prolongado da economia da zona euro". Persistem "riscos significativos de baixa" do crescimento e as pressões inflacionistas são fracas.

Para isto contribuem uma série de "incertezas" que travam a economia da zona euro, como a tensão comercial e o Brexit.

Em jeito de despedida, Mario Draghi espera ter conseguido fazer da política monetária um tema menos chato. "Uma das coisas mais importantes que toda a gente deve tentar é não ser aborrecido", atira.

Quanto relação ao futuro, em Itália dão-lhe a Presidência da República como uma possibilidade. As eleições são em 2021, e o ainda presidente do BCE não mostra abertura para discutir o tema.

Mario Draghi terminou desejando o melhor para todos.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de